Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Outros / Patrocínio

Premier League põe limite para dono patrocinar o próprio time

Acordos de mais de £ 1 milhão serão examinados por Conselho da liga britânica

Adalberto Leister Filho - São Paulo (SP) Publicado em 16/12/2021, às 11h44 - Atualizado às 11h46

Comprado por um fundo saudita, Newcastle foi o clube mais atingido com proibição do "autopatrocínio" - Reprodução / Instagram (@nufc)
Comprado por um fundo saudita, Newcastle foi o clube mais atingido com proibição do "autopatrocínio" - Reprodução / Instagram (@nufc)

A proibição de patrocínios de empresas ligadas aos donos de clubes da Premier League em sua própria equipe foi suspensa pela direção da liga. Mas os times terão que obter aprovação para acordos superiores a 1 milhão de libras (R$ 7,62 milhões).

O bloqueio desses patrocínios havia sido imposto em outubro, com apoio de 18 clubes, após a aquisição do Newcastle pelo fundo de investimento público da Arábia Saudita (PIF). À ocasião, apenas o Newcastle votou contra, enquanto o Manchester City, propriedade de um fundo de Abu Dhabi, absteve-se.

Segundo o diário britânico The Guardian, se um clube tiver proposta de valor superior a £ 1 milhão de uma empresa ligada a seus proprietários, deve comparecer ao Conselho da liga para provar que o valor obedece às lógicas do mercado.

A Premier League repassará a proposta de acordo para ser estudada por uma agência independente com experiência em avaliação de mercados. O Conselho da entidade, então, examinará o parecer da agência, a documentação do clube e um banco de dados com negócios semelhantes antes de fazer seu julgamento.

De acordo com o The Guardian, Newcastle e Manchester City foram os únicos clubes que votaram contra a proposta.

Há dois meses, os clubes vinham operando sob uma proibição temporária dessas parcerias comerciais, que foi prorrogada em 26 de novembro, até que o grupo de trabalho formalizasse a proposta atual.

“A moratória foi um choque. Não esperávamos que isso acontecesse. Como você poderia imaginar que todos os negócios comerciais seriam cancelados? ”, afirmou Amanda Staveley, principal dirigente do Newcastle.

Dentro de campo, as notícias também não têm sido boas para o clube. Ao menos por enquanto, mesmo sendo gerido por um fundo bilionário, o Newcastle ocupa a penúltima posição do Campeonato Inglês, com apenas 10 pontos.