Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Outros / Vôlei

Maurício Souza faz retratação por homofobia, e Minas decide demitir o atleta

Ataques feitos pelo central durante retratação levaram clube a se desfazer do jogador recém-contratado

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 27/10/2021, às 16h19 - Atualizado às 16h57

Maurício Souza gravou vídeo de retratação em que defendeu seu direito de condenar a homossexualidade - Divulgação / Minas Tênis Clube
Maurício Souza gravou vídeo de retratação em que defendeu seu direito de condenar a homossexualidade - Divulgação / Minas Tênis Clube

O jogador Maurício Souza acaba de ser demitido do Minas Tênis Clube. Em comunicado com apenas uma frase, o clube divulgou que "o atleta Maurício Souza não é mais jogador do clube". A decisão veio cerca de uma hora depois que o atleta divulgou um vídeo no Instagram se "retratando" após uma postagem condenando o homossexualismo nas redes sociais.

No vídeo publicado com cerca de 3min30s, Maurício atacou as críticas que recebeu e reiterou que tinha o direito de emitir sua opinião contra a homossexualidade. O jogador não se arrependeu das críticas e apenas informou que pedia desculpas a quem havia se ofendido pelos seus atos. 

Durante seu vídeo, Maurício ainda disse que não se considerava preconceituoso e se colocou como vítima, afirmando que "infelizmente, a gente não pode mais dar opinião, não pode mais colocar os valores de família e do que acredita acima de tudo". O atleta ainda criticou quem reclamou de seu posicionamento: "Os valores de vocês a gente tem de respeitar a qualquer custo, se não a gente é taxado como homofóbico, como preconceituoso. Eu não concordo com isso", declarou.

No vídeo, o jogador já dava a entender que não continuaria no Minas, clube que o contratou após os Jogos Olímpicos de Tóquio.

"Hoje em dia, a gente não pode dar opinião sobre nada, se não vai ser penalizado. Se eu sair do time, pode ter certeza que eu vou arrumar outro time para jogar. Eu não jogo porque sou bonitinho, porque sou grande. Eu jogo porque sou competente. Assim como os homossexuais jogam porque são competentes. Eu acho que não foi crime nenhum o que fiz", disse Maurício, reiterando que não foi sua intenção ofender ninguém.

Em entrevista ao jornal "O Globo", o técnico da seleção masculina, Renan Dal Zotto, afirmou que Maurício está fora da seleção pelo pensamento homofóbico. O treinador disse isso antes do pronunciamento de Maurício Souza. 

ENTENDA O CASO

Maurício Souza fez a postagem homofóbica no dia 12 de outubro, em seu perfil no Instagram. Desde então, foi criticado dentro do ambiente on-line e rebatido por Douglas, astro da seleção brasileira na última edição dos Jogos Olímpicos e defensor da causa LGBTQIA+.

Depois, no dia 23, a torcida do Minas comunicou que não apoiaria o atleta durante os jogos do time, reiterando que a homofobia é crime previsto por lei.

Só na segunda-feira (25), 13 dias depois da postagem de Maurício e dois dias após a manifestação pública dos torcedores, o Minas tomou um posicionamento. Mesmo assim, defendeu o atleta em defesa da “liberdade de expressão”.

Nesta terça-feira (26), porém, com a pressão pública dos patrocinadores, o caso teve uma reviravolta, com a punição a Maurício, contratado após os Jogos Olímpicos de Tóquio. 

Por último, nesta quarta-feira (27), Maurício usou sua conta no Instagram para mais uma vez se defender das acusações de homofobia. A atitude do atleta gerou sua demissão do Minas.