Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Outros / Jogos de Inverno

Moeda virtual servirá de pagamento em Vila Olímpica e arenas de Pequim 2022

Aplicativo  de celular e pulseiras terão yuan digital para transações comerciais

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 12/01/2022, às 17h23

Arenas dos Jogos de Inverno de Pequim 2022 e Vila Olímpica irão aceitar yuan digital - Pan Zhiwang/Divulgação
Arenas dos Jogos de Inverno de Pequim 2022 e Vila Olímpica irão aceitar yuan digital - Pan Zhiwang/Divulgação

O yuan digital, moeda do Banco Central da China, será um método de pagamento disponível para atletas e treinadores hospedados na Vila Olímpica em Pequim durante os Jogos Olímpicos de Inverno, que começam em 4 de fevereiro. As arenas da Olimpíada também aceitarão a moeda digital em pagamentos de torcedores que comparecerem às competições.

O Banco Central da China vem desenvolvendo o yuan digital desde 2014. Na semana passada, foi lançada uma versão piloto de um aplicativo para apoiar o uso da moeda em dez cidades chinesas.

Segundo a agência Bloomberg, atletas e treinadores poderão receber pulseiras que podem ser digitalizadas para pagar com a moeda virtual em cafés e lojas de conveniência dentro da Vila Olímpica. Cartões Visa e yuan serão as únicas outras formas de pagamento aceitas na Vila Olímpica.

O yuan digital é uma forma eletrônica da moeda destinada a substituir o papel-moeda, embora não seja uma criptomoeda porque não opera em blockchain e é emitida pelo Banco Central da China.

Cartões de crédito e aplicativos como Apple Pay nos EUA e WeChat Pay na China servem apenas como movimentadores eletrônicos de dinheiro, enquanto o yuan digital da China é uma moeda legal apoiada por código de computador rastreável.

Em novembro, o PBOC da China disse que 140 milhões de pessoas se registraram para contas de yuan digital. O WeChat Pay, da Tencent, e o Alipay, da Alibaba, dois aplicativos de pagamento móvel dominantes na China, atualizaram recentemente suas plataformas para oferecer pagamentos digitais em yuan.

Em julho, três senadores republicanos pediram ao Comitê Olímpico dos EUA que proibisse os atletas dos EUA de usar o yuan digital devido a questões de espionagem e segurança de dados. Citando preocupações semelhantes, o Comitê Olímpico Holandês alertou seus atletas para não levarem celulares e laptops para a China.

As Olimpíadas de Pequim seria uma oportunidade de o país testar o yuan digital com visitantes estrangeiros. No entanto, essa chance acabou prejudicada pela decisão de proibir torcedores estrangeiros nos Jogos devido à pandemia. A competição será restrita a torcedores domésticos.

Os Jogos de Verão de Tóquio, no ano passado, já haviam adotado restrição semelhante. No caso japonês, porém, toda a torcida foi banida dos estádios.