Outros

Nike e CBSkate travam em prorrogação de contrato

por Erich Beting
A
A
Com o adiamento das Olimpíadas para 2021, a marca esportiva e a confederação passaram a viver um impasse.
Crédito: Reprodução
Com o adiamento das Olimpíadas para 2021, a marca esportiva e a confederação passaram a viver um impasse.
publicidade

A Confederação Brasileira de Skate e a Nike travaram em busca de uma solução para o fornecimento de equipamento para o time brasileiro que disputará os Jogos Olímpicos de Tóquio. Com o adiamento das Olimpíadas para 2021, a marca esportiva e a confederação passaram a viver um impasse.

No dia 9 de fevereiro, a CBSkate divulgou uma nota afirmando que a Nike havia, unilateralmente, decidido descontinuar o patrocínio à entidade. Na nota, a confederação disse que a Nike alegou “prejuízos pelo adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020” para rescindir o acordo.

Procurada naquela semana, a marca esportiva disse que ainda não tinha um posicionamento para dar sobre o tema. Segundo apurou Máquina do Esporte, desde a divulgação da nota oficial da CBSkate que as duas partes intensificaram as negociações para manter o contrato, mas ainda não houve um consenso do que será feito.

Na nota divulgada em fevereiro, a confederação afirmou que iria em busca de soluções para o equipamento e uniforme dos atletas que defenderão o país nas Olimpíadas, que marcarão a estreia do skate como esporte olímpico.

Atualmente, a Nike patrocina quatro confederações que estarão em Tóquio: futebol (CBF), basquete (CBB), atletismo (CBAt) e skate. Das quatro, apenas a CBF tem contrato que vigorava para além de dezembro de 2020. Com o atletismo e o basquete, a situação está mais controlada, até pelo fato de as duas modalidades serem globalmente estratégicas para a Nike.

Com a venda da operação da fabricante no Brasil para o grupo SBF, dona da varejista Centauro, os contratos de patrocínio da Nike no país seguem sendo tocados pela matriz nos EUA.

publicidade

Futebol inicia pressão por nova paralisação