Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Outros / Histórico

Nike tem recorde de US$ 44,5 bilhões em faturamento no ano

Redação Publicado em 28/06/2021, às 10h28

Imagem Nike tem recorde de US$ 44,5 bilhões em faturamento no ano

A Nike anunciou o balanço do último trimestre do seu ano fiscal, encerrado no dia 31 de maio. E, a julgar pelo desempenho da marca no período, as dificuldades geradas pela pandemia parecem ter ficado para trás. A gigante americana viu sua receita no quarto trimestre disparar 96% com relação ao mesmo período do ano anterior, para US$ 12,3 bilhões. O aumento também é de 21% em comparação ao quarto trimestre de 2019, quando a pandemia ainda não tinha começado.

Em todo o ano, as receitas da Nike subiram 19% e chegaram ao recorde de US$ 44,5 bilhões, com o lucro líquido no ano alcançando US$ 5,7 bilhões, também o maior de sua história.

A Nike disse que o crescimento da receita foi em grande parte impulsionado pela recuperação de suas operações comerciais devido ao impacto da Covid-19 no ano anterior.

“Os fortes resultados da Nike neste trimestre e no ano fiscal completo demonstram nossa vantagem competitiva exclusiva e a profunda conexão com os consumidores em todo o mundo. O ano fiscal de 2021 foi crucial para a Nike, pois demos vida à nossa estratégia de aceleração de venda direta ao consumidor em todo o mercado. Alimentados por isso, continuamos a investir em inovação e nossa liderança digital para definir a base para o crescimento a longo prazo da Nike”, declarou John Donahoe, presidente e executivo-chefe da Nike.

A América do Norte gerou receita recorde para a empresa, um aumento de 141% no comparativo anual, para US$ 5,38 bilhões. Com a reabertura dos mercados e o retorno do esporte, o crescimento das vendas digitais da região também continuou forte: 54% maior em relação ao ano anterior.

Com lojas próprias voltando a abrir, Nike celebra faturamento recorde ainda em ano com efeitos da pandemia
Divulgação/Nike

As receitas do quarto trimestre da EMEA (Europa, Oriente Médio e África) aumentaram 124% no comparativo anual, para US$ 2,98 bilhões. O fim das restrições da pandemia em muitos países da região ajudou no resultado, já que 99% das lojas agora estão abertas ou operando pelo menos em horário reduzido. Na Ásia, a receita da Grande China aumentou 17%, para US$ 1,93 bilhão.

A marca também comemorou o sucesso da estratégia de venda direta ao consumidor, que passou a ser um dos pilares para o crescimento da marca há alguns anos. Em 2021, elas representaram US$ 16 bilhões, ou 37% de todo o faturamento da empresa.

As vendas digitais aumentaram 41% no comparativo anual e saltaram 147% em comparação com o mesmo período de 2019, quando a empresa havia timidamente começado uma estratégia voltada para o e-commerce. No total, US$ 9 bilhões foram provenientes da operação digital, 20% do total do faturamento da companhia.

“O impulso da marca Nike é uma prova das nossas conexões autênticas com o consumidor, força digital e execução operacional contínua. À medida que avançamos em nossa transformação digital voltada para o consumidor, estamos construindo um novo modelo financeiro que continuará a impulsionar o crescimento sustentável e lucrativo de longo prazo para a Nike”, ponderou Matt Friend, vice-presidente executivo e diretor financeiro da marca americana.