Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Outros / Olimpíada

No Dia da Mulher, COB anuncia apoio a atletas pelo programa Solidariedade Olímpica

Esportistas terão direito a bolsa anual de US$ 6 mil durante ciclo olímpico até Paris 2024

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 08/03/2022, às 16h07 - Atualizado às 16h09

Ana Luiza Caetano, do tiro com arco, foi uma das atletas contempladas pelo programa Solidariedade Olímpica - Alexandre Massi / COB
Ana Luiza Caetano, do tiro com arco, foi uma das atletas contempladas pelo programa Solidariedade Olímpica - Alexandre Massi / COB

No Dia Internacional da Mulher, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) anunciou a seleção de nove jovens atletas para receberem uma bolsa oferecida pelo Programa Solidariedade Olímpica, do Comitê Olímpico Internacional (COI). Os valores servirão para cobrir custos com treinamento e competições até o final do ciclo de Paris 2024.

“Em Tóquio, tivemos um recorde de medalhas femininas. Então, nada mais justo que, no Dia Internacional da Mulher, o COB oferecer este importante apoio a nove atletas para contribuir no desenvolvimento de suas carreiras“, afirmou Paulo Wanderley, presidente do COB.

Foram escolhidas as seguintes atletas: Ana Luiza Caetano (tiro com arco), Bárbara Domingos (ginástica rítmica), Beatriz Souza (judô), Chayenne da Silva (atletismo), Gabriela Mazetto (skate), Giovanna Prada (vela), Giulia Takahashi (tênis de mesa), Laura Amaro (levantamento de peso) e Stephanie Balduccini (natação).

“Esta é a primeira vez que o COB indica exclusivamente mulheres para o Solidariedade Olímpica. Todas elas atuam em provas individuais e possuem histórico de bons resultados nas categorias de base e no adulto. Acreditamos que, com este apoio, elas poderão desenvolver ainda mais seu potencial esportivo”, explicou Jorge Bichara, diretor de esportes do COB.

A bolsa do Programa Solidariedade Olímpica prevê que cada atleta receba pagamento quadrimestral de US$ 2 mil, totalizando US$ 6 mil por ano. Após as indicações do COB, os nomes precisaram ser aprovados pelas Confederações Brasileiras Olímpicas, pelas Federações Internacionais de cada modalidade e pelo COI.

“Essa bolsa vai me abrir várias portas. Terei a chance de aproveitar meu último ano de base, ganhar experiência e entrar na categoria adulta com mais bagagem. É também um reconhecimento do meu esforço até aqui, além de um incentivo para o ciclo de Paris 2024, porque vejo que o meu trabalho está sendo visto por mais gente”, disse Ana Luiza Caetano, a Lulu, bronze no Pan-Americano Júnior de Cáli em 2021.