Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Outros / Running

Olympikus celebra Maratona do Rio e promete novidades no running em 2022

Além de novas provas do Bota Pra Correr, marca lançará três novos tênis para performance no ano que vem

Wagner Giannella - Rio de Janeiro (RJ)* Publicado em 16/11/2021, às 08h05 - Atualizado às 08h15

Maior festival de corridas de rua da América Latina, Maratona do Rio voltou após um ano de hiato por conta da pandemia - Foto: Na Buena Onda
Maior festival de corridas de rua da América Latina, Maratona do Rio voltou após um ano de hiato por conta da pandemia - Foto: Na Buena Onda

Após um ano de hiato por conta da pandemia de Covid-19, a Maratona do Rio, maior festival de corrida de rua da América Latina, foi disputada neste feriado da Proclamação da República. Pouco mais de 20 mil atletas correram pelas ruas da capital fluminense entre domingo (14) e segunda-feira (15) em percursos de 5k, 10k, 21k e 42k. Além deles, outros cerca de 10 mil corredores participaram da prova virtual espalhados por todo o Brasil e até outros países.

Patrocinadora esportiva oficial da prova, a Olympikus celebrou a volta com diversas ativações. A principal delas já foi de olho no Bota Pra Correr, circuito proprietário de running da marca, de 2022. Todos os atletas que cruzaram a linha de chegada de qualquer uma das distâncias, com qualquer tênis da marca nos pés, foram colocados em um sorteio para ter direito a ir para uma das etapas do Bota Pra Correr do ano que vem. A novidade já havia sido anunciada em um treinão promovido pela fabricante para convidados no mês passado, que foi chamado de Bota Pra Correr Rio de Janeiro. Ao todo, serão duas provas no segundo semestre, que ainda não têm os locais confirmados oficialmente.

Em um bate-papo com jornalistas na véspera do evento, Márcio Callage, diretor de marketing da Olympikus, ainda revelou alguns dos planos da marca para o ano que vem. Além do Bota Pra Correr e da estreia na Maratona de São Paulo (que era para ter ocorrido em 2020 e depois em 2021), a Olympikus ainda terá o lançamento de três novos tênis para atletas que buscam por performance e querem modelos feitos pela marca brasileira.

“A volta de eventos da magnitude da Maratona do Rio representa um pilar de extrema importância para nós, o de estarmos próximos da comunidade de corrida, conhecendo melhor do que ninguém o nosso público e mercado e conectando-se com ele. Projetamos um grande 2022 desde já. Lançaremos pela primeira vez um tênis com placa desenvolvido no Brasil, o Corre Grafeno, com a promessa de revolucionar várias indústrias a partir de toda capacidade de trabalho. Lançaremos também o Corre 2, tênis cocriado em parceria com diversos profissionais e testado pelos laboratórios de biomecânica da Universidade de São Paulo (USP). E teremos ainda o Corre Vento, modelo específico para os atletas velozes”, revelou Callage.

Além da Olympikus, outras marcas estiveram presentes com algumas ativações na arena do evento. Entre as principais, Cosan (dona dos naming rights dos 42k), Claro (dona dos naming rights dos 21k) e Ortobom (dona dos naming rights dos 5k e 10k). A Gatorade foi a responsável por toda a hidratação da prova, e a Michelob Ultra se aproximou ainda mais do público que consome esporte. Além de um espaço no Parque do Ibirapuera, em São Paulo, a marca ainda tem como embaixador o multicampeão olímpico Usain Bolt e vem cada vez mais crescendo no segmento.

No asfalto, o evento carioca foi o mais pernambucano da história, com vencedores do estado nordestino na principal prova tanto entre os homens como entre as mulheres. Na maratona masculina, a vitória ficou com Justino Pedro da Silva que, além de subir no lugar mais alto do pódio, ainda bateu um recorde que durava desde 1998. No feminino, a campeã foi Mirela Saturnino de Andrade.

*O jornalista viajou a convite da Olympikus