Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Outros / Na final

Prêmio Máquina do Esporte: os finalistas em Marketing de Causa - Empresas

Redação Publicado em 09/06/2021, às 08h55

Imagem Prêmio Máquina do Esporte: os finalistas em Marketing de Causa - Empresas
Luiz Adriano, do Palmeiras, entrega cobertor feito a partir de camisas do time a morador de rua
Reprodução/TV Palmeiras

O Prêmio Máquina do Esporte revela os finalistas na categoria Marketing de Causa, a que recebeu mais indicações entre as 124 que se inscreveram para participar da primeira premiação do gênero feita à indústria do esporte. Por conta da pandemia, mais de 30 inscrições foram para a categoria, que assim foi desmembrada em duas subcategorias: ação de Marketing de Causa promovida por empresas e ação promovida por entidades esportivas.

Os indicados foram selecionados pela Equipe da Máquina do Esporte e depois passarão a concorrer ao prêmio de case do ano por meio de voto popular e voto do júri técnico. Os cases foram escolhidos por atenderem diferentes critérios, como a originalidade da proposta, a solução encontrada para o problema e, ainda, o alcance que se obteve com o projeto.

Com o patrocínio da Casa de Apostas e o apoio da LiveSports, o Prêmio Máquina do Esporte, primeira premiação do gênero já feita na indústria esportiva brasileira, colocará em breve para votação os 40 cases finalistas. A cerimônia de divulgação dos vencedores acontecerá no dia 28 de junho, em evento que será transmitido pela LiveSports nos canais da Máquina do Esporte.

Confira a seguir quem são os finalistas na categoria Marketing de Causa - Empresas.

Puma e os cobertores com o enxoval do Palmeiras

Ao término da temporada 2019, a Puma precisava encontrar um destino social e ambiental para os uniformes produzidos naquele ano e que não seriam mais usados pelos jogadores e comissão técnica do Palmeiras. A empresa, então, teve a ideia de promover a reciclagem e transformação dos tecidos dos uniformes em cobertores para serem entregues em instituições que auxiliam moradores de rua. A ação resultou na doação de 2 mil cobertores para instituições que auxiliam moradores.

Touca solidária da Aquaman e Speedo

Com o avanço da pandemia, o evento Aquaman uniu-se à patrocinadora Speedo para ajudar os mais vulneráveis. Eles promoveram a ação Touca Solidária, em que um produto da marca era estilizado contra o coronavírus. A renda líquida com a venda da touca foi destinada a dois projetos sociais que promovem a natação: Treino na Laje (São Paulo) e Ondas da Inclusão (Rio de Janeiro). Foram mais de 4,5 toneladas de alimentos e materiais de higiene doados e mais de 300 famílias impactadas com a ação.

Arena MRV e a Conscientização sobre o autismo

Quando foi liberado o alvará que autorizou o início das obras da Arena MRV, o estádio celebrou o início da operação promovendo uma queima de fogos no canteiro de obras. Uma moradora, vizinha da obra, enviou mensagem para o perfil da Arena MRV no Instagram reclamando que a filha dela tem transtorno do espectro do autismo e se assustou com o foguetório. A situação criou pânico na família que, mesmo sendo atleticana, se incomodou com a obra e possíveis transtornos que poderiam ser causados. Alguns dias depois de a Arena MRV receber a mensagem da mãe da Julya, já estava programada nova queima de fogos para a inauguração do Centro de Experiências do futuro estádio do Atlético. O local é um espaço destinado para o torcedor visitar e acompanhar a obra. Para que não houvesse novo transtorno para a Julya, a Arena MRV fez contato com a mãe da criança e visitou a família levando um abafador de ouvidos personalizado com as marcas do Atlético e da Arena MRV, além de uma carta com um pedido de desculpas. Nela, a Arena firmou o compromisso de sempre avisar quando ocorrerem queimas de fogos, com data e horário previsto. Além disso, a Julya foi convidada a conhecer o Centro de Experiências. O assunto virou mídia espontânea na imprensa após a família postar a ação no instagram.

Centrum e o projeto Botafogo Seguro

Em dezembro de 2020, o Botafogo anunciou um novo acordo de patrocínio. A marca de suplemento vitamínico e mineral Centrum, da farmacêutica GSK, se tornava a nova patrocinadora do time, com um projeto diferente. Em parceria com o clube, foi lançado o projeto Botafogo Seguro, uma iniciativa de conscientização que promove ações de prevenção à Covid-19 reconhecidas pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e autoridades de saúde dentro do Estádio Nilton Santos, a casa do Botafogo. O objetivo da parceria é proporcionar maior segurança aos atletas e profissionais envolvidos na realização dos jogos de futebol, além de usar a força de mídia do clube para alertar a população sobre a importância dos métodos de prevenção à doença. A parceria prevê, ainda, que quando o retorno do público for permitido pelas autoridades competentes, as ações serão ampliadas para proporcionar também a proteção dos torcedores. Com a iniciativa, o estádio do Botafogo se tornou o primeiro do país a adotar protocolos específicos de segurança, em complemento aos protocolos já exigidos pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro, pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ) e pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O protocolo foi assinado pelo Dr. Sergio Cimerman, médico infectologista que também atua como consultor técnico do projeto. O lançamento da ação impactou 60 milhões de pessoas potencialmente. Nas redes sociais, o número de impressões relativas ao lançamento do projeto foi de 1,1 milhão. O vídeo do evento de lançamento foi assistido por mais de 21 mil pessoas, sendo o terceiro vídeo mais visto da Botafogo TV em dezembro de 2020. Foram 48 reportagens publicadas organicamente na imprensa somente sobre o lançamento do Botafogo Seguro. Ao longo dos meses seguintes, foram mais de 120 matérias geradas na imprensa com menções ao projeto.

Refit e a Usina de Campeões

Projeto Social que atende diariamente centenas de crianças e jovens de comunidades carentes do Rio, o Usina de Campeões precisou parar suas atividades por conta da pandemia. Além de as crianças atendidas pelo projeto que ensina artes marciais não poderem mais ter aulas presenciais, suas famílias estavam em risco iminente de sofrer com a fome pela falta de dinheiro. Para manter os jovens engajados com o projeto e motivados para enfrentar esse momento tão complicado, a Refit, mantenedora do Usina de Campeões, proporcionou aulas on-line ao vivo e gravadas para todos os alunos, distribuiu cestas básicas reforçadas com proteínas e materiais de higiene pessoal para todas as famílias e preparou uma série de vídeos com ídolos do esporte, transmitindo mensagens de incentivo para as crianças. Nomes como Diego Ribas, do Flamengo, os lutadores José Aldo, Thiago Marreta e Glover Teixeira, entre outros, e o narrador Luis Roberto participaram da ação. No fim, houve um aumento no número de jovens interessados em participar do projeto, milhares de visualizações nas aulas on-line e engajamento nas redes sociais e nenhum problema de falta de comida para as famílias atendidas pelo projeto. A divulgação do Usina de Campeões também fez com que atletas profissionais, inclusive do UFC, passaram a treinar na estrutura do projeto social, como o lutador Warlley Alves, fazendo com que a estrutura do projeto virasse uma referência e abrigasse competições de algumas modalidades, sem presença de público.