Sertrading será patrocinadora máster da seleção brasileira de vela na SSL Gold Cup

Competição reunirá 56 países no Bahrein para coroar a melhor nação de vela da temporada

A seleção brasileira de vela anunciou seu novo patrocinador máster para as finais da primeira edição da SSL Gold Cup 2022, a Copa do Mundo de Nações da modalidade. A competição, em Manama, no Bahrein, será realizada de 28 de outubro a 20 de novembro.

A Sertrading, uma das maiores empresas de comércio exterior do país, apoiará o barco comandado pelo cinco vezes medalhista olímpico Robert Scheidt, e que terá a bordo Martine Grael e Kahena Kunze, bicampeãs olímpicas (Rio 2016 e Tóquio 2020).

“Ter a parceria com a Sertrading vai impulsionar a gente a chegar melhor nessa etapa. É um grande apoio para a vela brasileira, e espero que cada vez mais empresas como a Sertrading apoiem nossa modalidade. Como capitão da equipe, estou muito contente. Foi um grande objetivo alcançado. Agora é se preparar para trazer um bom resultado”, afirmou Robert Scheidt, maior medalhista olímpico do Brasil.

“É uma grande honra apoiar o esporte brasileiro, principalmente a seleção brasileira de vela. O Scheidt pode ser comparado aos grandes do mundo esportivo. Se fosse no tênis, seria um Roger Federer ou Rafael Nadal. Queremos colocar a Sertrading em outro patamar”, destacou Luciano Sapata, vice-presidente da empresa.

Companheiro antigo

O patrocínio entre Sertrading e a seleção brasileira de vela foi idealizado por Bruno Prada, companheiro de Robert Scheidt nas medalhas obtidas nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008 e Londres 2012.

O proeiro, que atua como CEO da campanha na Copa do Mundo de Vela, além de competir, é responsável por trazer ao país o L'Étape Brasil by Tour de France, principal prova do calendário de ciclismo de estrada do mundo.

“O patrocínio da Sertrading vai gerar uma força muito maior do time, que terá uma série de benefícios para fazer uma grande campanha no Bahrein. É um apoio inovador e que tem tudo para se estender por muito tempo. Espero que a gente brigue pelo título da SSL”, disse Bruno Prada.

Anúncio oficial

O anúncio oficial do patrocínio entre Sertrading e a seleção brasileira de vela ocorreu na sede da empresa, em São Paulo (SP). Os medalhistas olímpicos foram recebidos pelos funcionários da companhia especializada em comércio exterior.

Robert Scheidt e Bruno Prada dividiram com os colaboradores da Sertrading histórias de campanhas olímpicas e de campeonatos mundiais no encontro.

"É uma grande honra apoiar o esporte brasileiro, principalmente a seleção brasileira de vela. O Scheidt pode ser comparado aos grandes do mundo esportivo. Se fosse no tênis, seria um Roger Federer ou Rafael Nadal. Queremos colocar a Sertrading em outro patamar"

Luciano Sapata, vice-presidente da Sertrading

“Encontramos na vela uma grande aderência de valores, como a excelência e o planejamento meticuloso, mas principalmente a necessidade do esforço coletivo, acima da performance individual”, contou Alfredo de Goeye, presidente da Sertrading.

“Acredito que esse é o grande desafio das organizações modernas, a capacidade de se mobilizar em conjunto para atingir objetivos importantes e comuns”, acrescentou o executivo.

Fundada em 2001, a Sertrading é uma das principais empresas de comércio exterior do Brasil, com atuação em mais de 15 setores da economia, entre eles automobilístico, farmacêutico, tecnologia, aviação executiva e energia solar, entre outros. A companhia encerrou 2021 com R$ 16,5 bilhões em volume de importações e mais de 100 clientes multinacionais.

Formato do evento

A SSL Gold Cup, evento da World Sailing desde 2017, reúne 56 países para coroar a melhor nação da vela a cada dois anos. O evento busca realizar uma competição igualitária, em que o talento dos velejadores esteja na vanguarda. Por isso, todos os times usam o mesmo modelo de barco.

Como na Copa do Mundo de Futebol, as primeiras rodadas de qualificação selecionam os times que avançam para as fases eliminatórias. Todas as regatas são disputadas com flotilhas de quatro barcos até as quartas de final. As equipes serão colocadas em chaves, com os oito primeiros colocados garantidos nessa fase da competição.

Duas flotilhas de quatro competem nas quartas de final para selecionar as quatro equipes que participam da única regata da Grande Final. O vencedor da Grande Final será coroado como a Melhor Nação da Vela.

Equipe brasileira

Além de Robert Scheidt, o SSL Team Brasil terá também Martine Grael, Kahena Kunze, Henry Boening, Mário Trindade, Juninho de Jesus, Alfredo Rovere, Gabriel Borges e Joca Signorini.

A equipe estará completa a partir da próxima segunda-feira (8) para a realização de treinos em Grandson, na Suíça, com o SSL 47, veleiro de alto desempenho, de 14 metros, entregue pela organização aos times. Equipes como Grã-Bretanha, Austrália e Holanda também farão o treinamento no país.

“Estou bem animada para fazer o primeiro treino deste ano. Faz um tempo que a gente não veleja todo mundo junto. Temos um time bem legal e queremos chegar às finais bem preparados. A ideia é treinarmos mais as situações de regatas e as táticas na Suíça. O primeiro foi mais para adaptação ao barco”, revelou Martine.

O SSL Team Brazil:

1 – Alfredo Rovere – proa

2 – Martine Grael – estratégia & grinder

3 – Henry Boening Maguila – grinder

4 – Kahena Kunze – segundo trimmer e grinder

6 – Juninho de Jesus – pit & runners

7 – Gabriel Borges – trimmer & jib/gennaker

8 – Mário Trindade – trimmer & grande/trav

9 – Joca Signorini – tática e grinder

10 – Robert Scheidt – timoneiro

20 – Henrique Haddad (Giga) – tripulante, coach e observador.

CEO: Bruno Prada