Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Outros / Skate

Sucesso nos Jogos de Tóquio, skate ganha escolas pelo Brasil

Aumento do interesse de alunos pela prática do esporte incentivou escolas a oferecerem cursos sobre a modalidade

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 10/12/2021, às 10h29 - Atualizado às 10h31

Skate está começando a ganhar espaço dentro das escolas após o sucesso nos Jogos Olímpicos - Reprodução / Twitter (@cbskoficial)
Skate está começando a ganhar espaço dentro das escolas após o sucesso nos Jogos Olímpicos - Reprodução / Twitter (@cbskoficial)

A estreia com medalhas do skate nos Jogos Olímpicos de Tóquio fez a modalidade ganhar as escolas no Brasil. Inspirados especialmente na imagem de Rayssa Leal, de apenas 13 anos de idade, os jovens começaram a pedir a inclusão da modalidade nas escolas.

O Colégio Marista Arquidiocesano, localizado em São Paulo (SP), introduziu uma oficina de skate entre as diversas práticas oferecidas dentro da grade curricular da disciplina de Educação Física. As turmas do Ensino Fundamental Anos Finais (acima do sexto ano) começaram um trabalho sobre mudanças dos centros urbanos, limitação de espaço e rotina das cidades, o que inspirou novas práticas corporais durante as aulas. Com isso, uma das modalidades escolhidas pelos alunos foi o skate.

“Além da prática, trouxemos também a teoria e o conceito por trás do esporte. No passado, havia um preconceito por ser um esporte de rua, mas o investimento em marketing e nas competições transformou o skate em uma modalidade olímpica de destaque”, afirmou a professora Regiane Ambrosio Bina, responsável pela atividade dentro da tradicional escola paulistana.

Outras escolas também têm inserido o skate dentro da grade extracurricular. O crescimento da prática da modalidade entre os jovens é algo que tem chamado a atenção da Confederação Brasileira de Skate (CBSk). Recentemente, em entrevista ao podcast Maquinistas, Eduardo Musa, presidente da entidade, afirmou que a proximidade do público jovem é importante para criar um “funil” de competição que melhore ainda mais o nível do skate no país.

“Temos de trabalhar para que a demanda que tem (dos jovens pela prática do skate), que é grande, a gente consiga atender também nessa veia competitiva”, disse o dirigente, explicando que a ideia é a confederação ampliar a oferta de competições para detecção de jovens talentos.