Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Outros / Estratégia

Tênis de Mesa cria "Programa de Ídolos" e quer "atletas influenciadores"

Redação Publicado em 11/08/2021, às 12h25 - Atualizado às 12h29

Imagem Tênis de Mesa cria "Programa de Ídolos" e quer "atletas influenciadores"
Divulgação / CBTM

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM) anunciou a criação do “Programa de Ídolos” e quer desenvolver o mercado de atletas da modalidade para se tornarem influenciadores. A ideia é construir relacionamentos de longo prazo e que promovam conversas relevantes fora do período dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, em que há um crescimento médio de 50% na base de fãs dos atletas que participam desses eventos.

A iniciativa será colocada em prática em parceria com a Fato&Ação Comunicação, empresa que presta assessoria de imprensa para a entidade há três anos e meio. Ao todo, serão envolvidos no projeto quatro atletas olímpicos (Eric Jouti, Giulia Takahashi, Laura Watanabe e Vitor Ishiy), quatro atletas paralímpicos (Cátia Oliveira, Dani Rauen, Jennyfer Parinos e Paulo Salmin) e um técnico (Hugo Hoyama).

De acordo com a CBTM, por ser um projeto-piloto, alguns ídolos não foram incluídos por já contarem com uma equipe especializada na área ou por apresentarem um trabalho avaliado como satisfatório. Entram nesse grupo alguns dos principais nomes da modalidade na atualidade, como Hugo Calderano, Gustavo Tsuboi e Bruna Takahashi.

Divulgação / CBTM

“O objetivo do programa é elevar o nível de maturidade dos nossos atletas e inseri-los no mercado de influenciadores, tornando-os plataformas atrativas para marcas e promovendo o desenvolvimento sustentável de suas carreiras, além de possibilitar nossas frentes de receita também para a confederação”, explicou João Gabriel Leite, gerente de desenvolvimento da CBTM.

“A CBTM trabalha para entregar cada vez mais serviços inovadores e relevantes para a comunidade. Nossa intenção é que o projeto se retroalimente e que possamos incluir mais atletas no futuro. Isso ajudará também no próprio trabalho de comunicação desenvolvido institucionalmente, com mensagens bem claras através de nossos porta-vozes e um amadurecimento da relação com outras marcas que querem se associar com o tênis de mesa ou atuam diretamente com os atletas”, complementou Geraldo Campestrini, diretor da CBTM.

Segundo a entidade, a necessidade de resultados esportivos para o sucesso pessoal e profissional dos atletas e a consequente dificuldade de se relacionar com marcas e fãs foram as principais motivações para o desenvolvimento da iniciativa. A expectativa é gerar aumento de seguidores e fãs, receita financeira e um relacionamento consistente entre os agentes do ecossistema do tênis de mesa.

O programa está construído em cinco pilares de atuação: planejamento; conteúdo, relacionamento com a mídia e gerenciamento de imagem; capacitação; mensuração; e prospecção no mercado. Além disso, servirá como teste para que a Fato&Ação possa oferecer um produto com as mesmas características para atletas de todos os níveis, academias, clubes, ligas regionais e federações, denominado Assessoria TMB. O programa será chancelado pela CBTM com custos mais baixos que os encontrados no mercado.

“A proposta é que todos possam contar com um serviço especializado na promoção, divulgação e marketing de seus próprios negócios, sejam eles atletas ou instituições. Acreditamos que este projeto seja muito benéfico para nossa empresa, mas também para o próprio mercado da modalidade, já que apenas 1% dos praticantes e instituições utilizam um serviço especializado”, finalizou Nelson Ayres, sócio da Fato&Ação.