US Open não segue Wimbledon e permitirá russos e bielorrussos, mas sob bandeira neutra

O US Open, torneio que fecha a série de quatro Grand Slams do calendário do tênis mundial, anunciou, nesta quarta-feira (15), que permitirá que tenistas russos e bielorrussos disputem a edição 2022, mas sob bandeira neutra. Atletas dos dois países têm sofrido sanções em diversas modalidades desde que a Rússia, com apoio da Bielorrússia (Belarus), invadiu a Ucrânia e deu início a uma guerra no dia 24 de fevereiro.

Com a decisão da Associação de Tênis dos Estados Unidos (USTA), o russo Daniil Medvedev, atual campeão do US Open, terá a chance de defender seu título no complexo de Flushing Meadows, em Nova York. Nesta semana, Medvedev apareceu pela segunda vez como número 1 do mundo no ranking divulgado pela ATP.

“A USTA permitirá que atletas individuais da Rússia e da Bielorrússia (Belarus) compitam no US Open de 2022, mas apenas sob uma bandeira neutra”, resumiu o comunicado oficial da USTA.

Vale lembrar que a decisão do torneio americano segue um caminho oposto ao tomado por Wimbledon, terceiro Grand Slam da temporada, que proibiu atletas dos dois países de participarem da edição 2022 que terá início no final deste mês. A atitude levou a ATP e a WTA a definirem que o torneio britânico não contará pontos para os rankings das duas entidades neste ano.

O US Open será disputado entre 29 de agosto e 11 de setembro, enquanto Wimbledon está marcado para o período entre 27 de junho e 10 de julho. Nos dois torneios, o restante dos tenistas terá a missão de desbancar o espanhol Rafael Nadal, que venceu os dois Grand Slams já disputados na temporada (Australian Open e Roland Garros).