Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Outros / Streaming

YouTube TV pode perder acesso à ESPN nos Estados Unidos

Empresa de streaming quer pagar valor semelhante ao de rivais e descarta repassar custo a assinantes

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 15/12/2021, às 11h14 - Atualizado às 11h16

ESPN e outros canais do Grupo Disney podem deixar plataforma YouTube TV nos Estados Unidos - Divulgação / Disney
ESPN e outros canais do Grupo Disney podem deixar plataforma YouTube TV nos Estados Unidos - Divulgação / Disney

O YouTube TV alertou seus assinantes nos Estados Unidos que eles podem perder o acesso à ESPN e a outros canais do Grupo Disney. O serviço de streaming por assinatura foi lançado em 2017, atualmente oferece mais de 85 canais, incluindo os principais provedores de esportes, e está disponível em todo o país.

A disputa acontece porque o YouTube quer negociar com a Disney valores semelhantes aos de seus rivais e descarta repassar o aumento nos custos aos assinantes, pois isso reduziria sua competitividade no mercado.

“A Disney é um parceiro importante para nós. Estamos em conversas com eles e trabalhando muito para manter seu conteúdo no YouTube TV. Nosso pedido à Disney, assim como a todos os nossos parceiros, é tratar o YouTube TV como qualquer outro provedor de TV, com as mesmas taxas que serviços de tamanho semelhante pagam, em todos os canais da Disney, pelo tempo que os oferecermos“, afirmou o YouTube, em nota oficial.

A empresa, de propriedade do Google, acrescentou que, se um novo acordo não for fechado antes de 17 de dezembro, os canais da Disney serão removidos e os clientes receberão um corte de preço de US$ 64,99 para US$ 49,99.

O Grupo Disney, por sua vez, afirmou que trabalha para conseguir uma solução.

"A Disney Media and Entertainment Distribution tem um histórico de sucesso na negociação de tais acordos com fornecedores de todos os tipos e tamanhos em todo o país e está comprometida em trabalhar com o Google para chegar a um contrato justo e baseado no mercado. Estamos otimistas de que podemos chegar a um acordo e continuar a fornecer aos clientes do YouTube TV nossos eventos esportivos ao vivo e cobertura de notícias, além de programação de entretenimento para crianças e família", afirmou a Disney.

O impasse ilustra a mudança no mercado de radiodifusão dos Estados Unidos. Por lá, muitos mercados têm sido atendidos por um único provedor de TV a cabo que agrupa vários serviços.

Plataformas over-the-top (OTT), como o YouTube TV, tentaram convencer os canais de TV a cabo a abandoná-lo oferecendo acesso a canais por meio da internet. Já as principais redes de TV e organizações de mídia lançaram suas próprias plataformas de streaming, incluindo Disney+, Fox Now, Paramount+ e Peacock.

Essa disputa para garantir o máximo de conteúdo possível levou a uma situação semelhante entre o YouTube TV e a NBC Universal no início deste ano. Os assinantes perderam acesso aos canais nacionais e redes regionais de esportes da NBC porque a emissora supostamente queria que o YouTube TV colocasse o Peacock no pacote. A disputa acabou sendo resolvida, e as empresas chegaram a um novo acordo .