Bitso e Tigres realizam primeira transferência de atleta de futebol com criptomoedas

A plataforma Bitso e o clube mexicano Tigres anunciaram, nesta terça-feira (1), a primeira transferência de um atleta de um time para outro por meio de criptomoedas. A jogadora em questão é a meia-atacante brasileira Stefany Ferrer, que saiu do Tigres (cujo time feminino tem o nome de Tigres Femenil) e foi transferida para o Angel City, dos Estados Unidos. Coincidentemente ou não, desde o mês passado, o time americano tem outra plataforma do segmento, a Crypto.com, como nova sócia-fundadora.

Considerada uma das maiores plataformas de criptomoedas do mundo, a Bitso é patrocinadora do Tigres desde dezembro do ano passado. Com a iniciativa da transferência realizada com a meia brasileira, a empresa quer demonstrar o “compromisso em tornar as criptomoedas um ativo útil e acessível, permitindo que o futebol prospere em uma economia digital global”.

“Estamos orgulhosos de poder contribuir com a transformação no futebol feminino, de mãos dadas com uma instituição tão inovadora como o Tigres. Nosso principal objetivo é tornar as criptomoedas uma solução útil, confiável e segura em todos os setores e para todas as pessoas, e essa iniciativa é mais um passo para revolucionar os serviços financeiros em toda a América Latina“, explicou Daniel Vogel, CEO da Bitso.

“Desde que anunciamos o patrocínio com a Bitso, dissemos que um dos projetos que tínhamos em mente para o futuro era dar o primeiro passo para novas plataformas tecnológicas, e hoje estamos fazendo isso. Realizar a primeira transação de uma jogadora com criptomoedas nos deixa em um lugar privilegiado e como um clube que olha para o futuro”, destacou Mauricio Culebro, presidente do Tigres.

Vale lembrar que a Bitso também já chegou ao futebol brasileiro. No último mês de janeiro, a plataforma anunciou patrocínio ao São Paulo e estampará seu logotipo na camisa do time paulista por três anos, além de dar nome a um setor no Estádio do Morumbi.