Chelsea é vendido para coproprietário do Los Angeles Dodgers por £ 4,25 bilhões

O Chelsea confirmou, neste final de semana, um acordo de venda do clube para um consórcio liderado pelo magnata americano Todd Boehly, coproprietário do Los Angeles Dodgers, da MLB, além de acionista do Los Angeles Lakers, da NBA, e do Los Angeles Sparks, da WNBA. A aquisição, feita por £ 4,25 bilhões (R$ 26,6 bilhões), poderá ser concluída até o final da atual temporada da Premier League, daqui duas semanas, uma vez que ainda está sujeita à aprovação da própria Premier League e também do governo britânico.

O objetivo do grupo comprador é usar a última rodada da temporada, quando o Chelsea receberá o Watford, em Stamford Bridge, para anunciar Boehly oficialmente diante da torcida. Caso isso não seja possível, o grupo terá até o dia 31 de maio para finalizar a compra. Nessa data, a licença temporária do governo do Reino Unido para que o clube continuasse em funcionamento após a saída do russo Roman Abramovich chegará ao final.

“O Chelsea Football Club pode confirmar que os termos foram acordados para um novo grupo de proprietários, liderado por Todd Boehly, Clearlake Capital, Mark Walter e Hansjorg Wyss, para adquirir o clube. Do investimento total que está sendo feito, £ 2,5 bilhões (R$ 15,6 bilhões) serão aplicados para comprar as ações do clube, e esses recursos serão depositados em uma conta bancária congelada no Reino Unido com a intenção de doar 100% para causas de caridade, como confirmado por Roman Abramovich. A aprovação do governo do Reino Unido será necessária para que os recursos sejam transferidos da conta bancária congelada”, divulgou o Chelsea, em comunicado oficial.

Além disso, os novos proprietários comprometerão £ 1,75 bilhão (R$ 11 bilhões) em investimentos adicionais para benefício do clube. Esse valor inclui investimentos em Stamford Bridge, na estrutura do Centro de Treinamento, na equipe feminina e no Estádio Kingsmeadow, que recebe os jogos do time feminino do clube, além de um financiamento contínuo para a Fundação Chelsea.

A venda já é considerada a mais lucrativa da história relativa a um clube de futebol. Todd Boehly lidera um consórcio no qual a Clearlake Capital terá a participação majoritária, com seu sócio, também coproprietário dos Dodgers, Mark Walter, e o bilionário suíço Hansjorg Wyss também envolvidos.

De acordo com a mídia britânica, o consórcio concordou com cláusulas que bloqueiam o pagamento de dividendos ou taxas de administração até 2032, impedindo também a venda de quaisquer ações do Chelsea, atual campeão da Champions League e do Mundial de Clubes da FIFA, por dez anos.