Guerra de liminares faz Brax e Sport Promotion "empatarem" na abertura do Brasileirão

A primeira rodada do Campeonato Brasileiro da Série A foi marcada por uma guerra nos bastidores entre duas agências de marketing esportivo que impactaram diretamente nas placas de publicidade que apareceram em volta dos gramados dos estádios onde aconteceram 9 dos 10 jogos de abertura do Brasileirão 2022.

Na noite da última quinta-feira (7), a Sport Promotion conseguiu uma liminar para impedir que 11 clubes assinassem um contrato com a recém-criada Brax, agência fruto da fusão de três outras empresas especializadas em comercialização e montagem de placas de publicidade em campos de futebol: Esportecom, Market Sport e Printac.

Isso fez com que os clubes corressem contra o tempo para fazer valer o novo contrato. A disputa na Justiça causou uma confusão na disposição das placas. O primeiro jogo do campeonato, entre Fluminense e Santos, marcaria a estreia da Brax, mas acabou com placas da Sport Promotion ao redor do campo. Na sequência, porém, o Atlético Goianiense conseguiu derrubar a liminar e enfrentou o Flamengo com a publicidade negociada pela nova agência.

A guerra de liminares fez com que, nos nove jogos que aconteceram no final de semana, quatro tivessem placas dos anunciantes da Sport Promotion, outros quatro estivessem com os patrocínios da Brax, e apenas um time tivesse uma propaganda própria.

Dos times que haviam rompido com a Sport Promotion, apenas Fluminense e Fortaleza cumpriram a decisão judicial de manter o antigo parceiro como dono dos espaços. Atlético-GO, Atlético-MG, Avaí e Coritiba conseguiram fazer valer o novo acordo, e estamparam as marcas da Brax nas placas de publicidade.

O “desempate” acontecerá nesta segunda-feira (11), quando o Juventude recebe o Red Bull Bragantino para fechar a primeira rodada. Teoricamente, o clube gaúcho assinou com a Brax, mas estaria impedido de colocar as propagandas da nova agência pela liminar da Sport Promotion. Um recurso poderá recolocar a nova marca na briga.

O único clube que não terá vínculo com nenhuma das duas empresas até agora é o Botafogo. Recém-comprado pelo americano John Textor, o time carioca rompeu todos os acordos comerciais e foi em busca de novos parceiros. As placas de publicidade na derrota para o Corinthians tinham apenas propaganda de produtos do clube.