Internacional fecha três acordos e alavanca investimento no futebol feminino

O Internacional anunciou, nas últimas semanas, três acordos para o futebol feminino do clube. A Marquespan Alimentos fechou contrato de um ano de patrocínio para estampar sua logomarca na parte de trás da camisa de jogo do time. Já a Faculdade Sogipa e a Preventiva selaram parcerias com o clube gaúcho para exibirem seus logotipos na parte traseira das camisas de treino.  

“No cenário nacional, é notável a ascensão do futebol feminino do Inter. A recente conquista inédita da categoria Sub-17 e a atual segunda colocação no Campeonato Brasileiro A1, em que estamos empatados em pontos com o primeiro colocado, corroboram isso. As parcerias comerciais enxergam o clube como um excelente investimento para a sua marca. Cada novo patrocínio e parceria, como os acertados com Marquespan, Faculdade Sogipa e Preventiva, são a prova de que a modalidade está sendo bem administrada e renderá frutos para o clube dentro e fora de campo”, destacou Jorge Avancini, vice-presidente de marketing do Internacional.

“O desenvolvimento do futebol feminino tem proporcionado um número maior de empresas interessadas em investir na modalidade. Prova disso, por exemplo, é o Internacional com três novos patrocinadores. Esses apoios ajudam no fortalecimento do esporte e irão evoluir de forma conjunta ao desenvolvimento da categoria”, afirmou Fabio Wolff, diretor da agência de marketing esportivo Wolff Sports, uma das orgnizadoras da Brasil Ladies Cup, competição de futebol feminino que reúne clubes do Brasil e da América do Sul.

Dentro de campo, o time feminino do Internacional tem alcançado bons resultados. Na categoria principal, as “Gurias Coloradas” ocupam o segundo lugar do Brasileirão, com 19 pontos, mesma quantidade do Palmeiras, líder do torneio. Além disso, pela base, o clube gaúcho sagrou-se campeão do Campeonato Brasileiro Feminino Sub-17 no início do mês, após vencer o Santos por 2 a 1, no jogo de volta da final. Na ida, o time gaúcho já havia vencido a equipe paulista por 1 a 0.

”O futebol feminino está, definitivamente, entrando no radar das grandes empresas. A gente percebe que há mais interesse das companhias em apoiar as equipes. Podemos observar o desenvolvimento dentro e fora das quatro linhas. Não é algo momentâneo, é uma tendência”, resumiu Armênio Neto, especialista em geração de receitas na indústria esportiva.