Justiça dos EUA compensará Fifa em US$ 201 milhões por corrupção de dirigentes

Tribunal já liberou US$ 32,3 milhões que serão usados no futebol feminino e programas sociais

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DOJ, na sigla em inglês) já liberou US$ 32,3 milhões à Fifa como forma de compensação por perdas sofridas pela entidade devido aos esquemas de corrupção de dirigentes do futebol. Segundo a Justiça informou, a federação que comanda o futebol mundial receberá US$ 201 milhões no total.

Muitos dos dirigentes envolvidos nos esquemas de corrupção relacionados a subornos por direitos de mídia e marketing foram condenados e perderam os bens obtidos ilegalmente.

Mais de 50 réus de mais de 20 países enfrentaram acusações desde que a investigação de corrupção foi revelada em 2015. Quatro empresas se declararam culpadas no esquema.

Entre os punidos na investigação está José Maria Marin, ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que foi condenado a quatro anos de prisão em 2018. O brasileiro, atualmente com 90 anos, foi solto em 2020 por causa da pandemia de Covid-19 e voltou ao Brasil.

Marin e Marco Polo Del Nero, outro ex-presidente da CBF, foram suspensos do futebol pela Fifa por serem considerados culpados de receber suborno. Del Nero perdeu o último recurso que tentou, na Corte Arbitral do Esporte, na Suíça.

Outro dirigente, Reynaldo Vasquez, ex-presidente da Federação de Futebol de El Salvador, se declarou culpado de conspiração de extorsão. Foi condenado a oito anos de prisão. A Fifa baniu o dirigente para sempre do futebol e o multou em US$ 522 mil.

Juan Angel Napout, ex-presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), foi condenado a nove anos de prisão.

Destino do dinheiro

Várias entidades de futebol devem se beneficiar da verba liberada pela Justiça. Segundo o DOJ, a Confederação da América do Norte, Central e do Caribe (Concacaf) e a Conmebol são duas das entidades que receberão parcelas desse dinheiro.

Sob a supervisão da Fundação Fifa, foi criado um Fundo Mundial do Futebol que dará destino a essa verba. A maior parte do montante será destinado a projetos no futebol feminino, educação, programas para jovens e também em ações sociais.