Paulistão Feminino terá transmissão multiplataforma e maior premiação da modalidade no país

Torneio terá início em 10 de agosto e distribuirá R$ 2,6 milhões, sendo R$ 1 milhão para o campeão

O Paulistão Feminino 2022 promete entrar para a história do futebol feminino do Brasil. Com início em 10 de agosto, o torneio terá 12 times participantes (Corinthians, São Paulo, Palmeiras, Santos, Ferroviária, Red Bull Bragantino, Portuguesa, São José, Taubaté, EC São Bernardo, Pinda e Realidade Jovem) e contará com uma série de novidades.

A primeira delas é a premiação. Ao todo, serão distribuídos R$ 2,6 milhões em cotas ao longo da competição, maior premiação da história da modalidade no país e um aumento de 1757% em relação à edição do ano passado, quando o montante chegou a apenas R$ 140 mil. A maior fatia ficará, claro, com o campeão, que embolsará R$ 1 milhão, enquanto o vice ficará com R$ 500 mil. Em 2021, esses valores foram R$ 90 mil e R$ 50 mil, respectivamente.

Além disso, de acordo com a Federação Paulista de Futebol (FPF), os clubes não terão nenhum custo de operação e produção do campeonato, como acontecia no passado. As receitas obtidas com os direitos de transmissão e parceiros comerciais possibilitarão a premiação inédita e o custeio de todas essas despesas, estimadas em R$ 3,3 milhões.

O Paulistão Feminino 2022 ficará marcado também pela maior visibilidade da história da modalidade no Brasil. Com transmissões multiplataforma em todas as mídias, 100% dos jogos serão transmitidos ao vivo. Sportv, YouTube, TNT Sports (por meio de suas plataformas de streaming), Paulistão Play e Eleven exibirão o torneio desde a primeira fase, e a FPF ainda promete anunciar novos parceiros de transmissão nos próximos dias.

As produções de todas as transmissões serão centralizadas pela FPF, que entregará o sinal para os parceiros, seguindo o mesmo modelo utilizado pelo Paulistão Masculino e pela Conmebol Libertadores, por exemplo.

“É muito empolgante ver a evolução do Paulistão Feminino nos últimos anos. É uma competição pioneira e consagrada no calendário, que em 2022 ganha um novo status: rentável aos clubes, desperta a atenção de novos parceiros comerciais e mídias diversas. Certamente, será o maior Paulistão Feminino da história”, afirmou Reinaldo Carneiro Bastos, presidente da Federação Paulista de Futebol.          

A tabela completa será divulgada em breve, mas já se sabe que as partidas finais terão transmissões de todos os detentores, contemplando, portanto, todas as mídias com o objetivo de oferecer experiências diferentes para os fãs.

Vale lembrar que a competição também vem atraindo cada vez mais torcedores. A final de 2021, vencida pelo Corinthians em duelo contra o São Paulo, registrou o maior público da história de uma partida de futebol feminino no país, com mais de 30 mil pessoas presentes na Neo Química Arena. Além disso, a transmissão da partida pelo Sportv foi líder de audiência nos canais fechados.