Ronaldo muda exigências, e Conselho questiona SAF do Cruzeiro

A criação da Sociedade Anônima do Futebol (SAF) do Cruzeiro foi colocada em dúvida pelos próprios conselheiros do clube nesta semana, depois de o ex-jogador Ronaldo, que assinou em dezembro do ano passado a compra da SAF, realizar novas exigências para assinar o documento definitivo que transfere propriedades do clube – e suas dívidas – para o novo dono.

Na noite da última segunda-feira (14), Ronaldo reuniu-se com a mesa diretora do Conselho Deliberativo do Cruzeiro. O encontro serviu para que o ex-jogador apontasse novas exigências para seguir com a compra do clube, após diligência realizada nos últimos meses para entender de que forma estão organizadas todas as dívidas cruzeirenses.

A principal exigência feita por Ronaldo foi a de que a SAF passaria a ser dona também dos dois Centros de Treinamento do Cruzeiro. Em troca, as dívidas tributárias do clube seriam realocadas dentro da SAF. Outra exigência é a de que o clube peça recuperação judicial ou extrajudicial, repetindo o que fez nesta semana o Coritiba.

Os pedidos, porém, levaram a uma nova crise entre Ronaldo e o Conselho cruzeirense. Os conselheiros divulgaram, nesta quarta-feira (16), uma nota em que afirmam que o contrato da SAF com Ronaldo é lesivo para o clube. No documento, assinado pelos membros da mesa diretora, os conselheiros dizem ainda que o ex-jogador não aportará R$ 400 milhões no clube, como foi dito na assinatura do contrato de intenção de compra. Segundo os conselheiros, apenas R$ 50 milhões seriam pagos em dinheiro, com o restante sendo investido a partir dos lucros obtidos já com a SAF.

O grupo, porém, afirma que é a favor da venda do clube, mas quer a revisão dos termos. A revelação de detalhes do contrato fere o acordo de confidencialidade que existe, o que ajudou a reaquecer a discussão sobre o negócio. Como Ronaldo levou novas exigências para o Conselho, é necessária a convocação de uma Assembleia Geral de sócios para decidir se a composição da SAF seguirá adiante.

A discussão pública gerou uma resposta da XP Investimentos, que tem assessorado o Cruzeiro no processo de venda. A empresa afirmou que há um erro na nota divulgada pela mesa diretora do Conselho cruzeirense e reiterou que Ronaldo investirá R$ 400 milhões para a aquisição do futebol do clube.

“A XP Investimentos foi contratada pelo Cruzeiro Esporte Clube por sua expertise e renome no mercado de capitais e, enquanto sua assessora financeira, busca sempre a melhor negociação possível para seu cliente, vislumbrando o reequilíbrio financeiro e operacional do departamento de futebol do clube, com um plano de crescimento sustentável de médio e longo prazo”, afirmou a empresa em nota.

De acordo com a XP, na nota divulgada pelos conselheiros há “imprecisões técnicas e interpretações errôneas do formato dos aportes da proposta assinada”. A empresa defende ainda a diligência feita por Ronaldo que gerou as novas exigências.

“Vale ressaltar que as condições finais de uma transação só ocorrem após uma diligência completa da parte compradora e, nesse caso, Ronaldo e sua equipe tiveram aproximadamente três meses de trabalho intenso para fazer um diagnóstico completo da real situação financeira e operacional do clube”.

Essa é a segunda vez que a XP coloca publicamente o Conselho do Cruzeiro contra a parede. A outra vez havia sido poucos dias antes da Assembleia Geral que determinou a formação da SAF que permite a venda do clube. À ocasião, Pedro Mesquita, executivo da empresa que tem liderado a negociação com Ronaldo, declarou que, se o clube não aceitasse as condições para a formação da SAF, o investidor que estava interessado no negócio sairia. Um dia depois de a SAF ser aprovada, Ronaldo surgiu como o investidor.