Após Penalty, Nike vê vazamento esvaziar ação

Detalhe na camisa III do Corinthians

Detalhe na camisa III do Corinthians

Há poucos meses, Náutico, Santa Cruz e Vitória viram suas ações de marketing em torno do lançamento de seus novos uniformes serem diminuídas após uma falha de distribuição da Penalty, que resultou no vazamento das camisas para o público. Nesta semana, Corinthians e Nike provaram que os problemas enfrentados pelos colegas do nordeste não são exclusivos de uma única marca ou associação.

Nesta quarta-feira, o Corinthians abriu a caixa que estava em sua sala de imprensa há uma semana. Antes, o mistério foi usado como buzz em redes sociais, que apontaram para o objeto com o intuito de desvendar o que havia dentro do caixa de madeira. Tratava-se da nova camisa, o que já não era surpresa para a imprensa e para os torcedores.

O problema acorreu na última segunda-feira, quando a imagem da camisa grená com a marca de São Jorge no peito direito circulou pela internet. O motivo teve um nome: Times Mania. A loja online de esportes colocou à venda o modelo do uniforme corintiano com a devida imagem. A exposição durou três horas, até a Nike mandar uma notificação para a empresa pedindo a retirada, o que foi prontamente atendido.

Segundo a Nike, toda a ação e divulgação da nova camisa estavam alinhadas entre o clube e a marca. O problema, segundo a empresa, é que a loja não teria respeitado o acordo que usualmente é feito entre a fornecedora de material e o varejo, que consiste em não divulgar o material antes de seu lançamento oficial. Esse, inclusive, teria sido o mesmo problema enfrentado pela Penalty há dois meses.

A Times Mania, no entanto, alega que houve um problema de comunicação. Segundo o supervisor de marketing da empresa, Flávio Andrade, não existia qualquer acordo. “A camisa chegou sem identificação alguma, sem nenhum comunicado que nós não poderíamos divulgá-las antes”, afirmou.

Mesmo tendo atendido aos pedidos da Nike em seguida, a loja lucrou com o pouco tempo de exclusividade. Em três horas, a quantidade de camisas vendidas se equivaleu ao que se venderia em dois dias. Foram 40% a mais do que o site vendeu em toda a primeira semana de vendas da camisa III de 2010.

Oficialmente, a Nike, parceira do Corinthians há quase uma década, apenas lamentou o ocorrido. O modelo em questão se trata de uma homenagem ao Torino, time que viajou pelo Brasil em 1948 e perdeu apenas para o Corinthians. No ano seguinte, o elenco da equipe italiana sofreu um acidente de avião, em que ninguém sobreviveu. O time de São Paulo, então, fez uma partida com uniforme grená, em memória ao Torino.

Apesar da perda de peso que teve na ação de divulgação, Corinthians e Nike ainda conseguiram a exposição do Globo Esporte. A caixa colocada na sala de imprensa foi aberta no programa de São Paulo pelo apresentador Ivan Moré. Dentro, a versão de jogo, com todos os patrocinadores. Na versão de venda, apenas Nike, NeoQuímica e Bozzano ficam presentes, mas na apresentação global, Fisk e Avanço também ganharam exposição de destaque em rede aberta de televisão.