Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Após venda, Fórmula 1 tem alta em TV e redes sociais

Temporada foi a primeira da competição sob a gestão da Liberty Media

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 10/01/2018, às 08h14 - Atualizado às 10h14

Imagem Após venda, Fórmula 1 tem alta em TV e redes sociais

Quando a Liberty Media comprou a Fórmula 1, no fim de 2016, a principal promessa era tornar a disputa mais moderna e atrativa. Após a primeira temporada com a agência americana, a organização começa a colher os resultados, com aumento na audiência da televisão e, principalmente, com o expressivo avanço nas redes sociais.

A Fórmula 1 lançou um consolidado de números que envolvem a disputa na televisão. E, ao considerar as corridas e todos os programas diretamente relacionados à competição, a organização identificou um aumento de 6,2% na audiência em relação a 2016. No total, 1,4 bilhão de pessoas tiveram contato com os eventos ao longo do ano.

Esse aumento esteve presente nos quatro principais mercados da Fórmula 1: Alemanha, Reino Unido, Itália e Brasil. Os italianos foram os que apresentaram maior crescimento, com 19,1%. Já o Brasil viveu um caso curioso. Na audiência geral, o crescimento foi de 13,4%. Por outro lado, houve mais uma diminuição no número de pessoas que assistiram às corridas ao vivo, com queda de 1,8%.

O país permanece como a maior audiência televisiva da Fórmula 1 no mundo. No total, 76 milhões de pessoas acompanharam as corridas no Brasil; foram 352 milhões em todo o mundo.

Nas redes sociais, um dos principais focos de desenvolvimento da Liberty Media com a Fórmula 1, o crescimento foi ainda maior. Segundo a organização do evento, nenhuma entidade esportiva teve uma aumentou proporcional tão significativa em 2017. Foram 54,9% a mais em relação ao ano anterior, na soma de Facebook, Twitter, Youtube e Instagram.

Um bom exemplo do crescimento das redes sociais, tanto em audiência quanto em cuidado da Liberty Media com o conteúdo, está no aumento de visualizações de vídeos no Facebook. Em 2017, foram 390 milhões de minutos assistidos pelos internautas, 1600% a mais em relação ao ano anterior.

No Instagram, o crescimento nos seguidores ficou próximo dos 100%. Nos vídeos do Twitter, o número foi de 165%. E até o site da Fórmula 1 teve aumento de audiência, com 124 milhões de visualizações, 7,5% a mais que 2016.

“O centro dos nossos esforços na última temporada foi melhorar a experiência do torcedor nas nossas plataformas e encorajar o engajamento desses torcedores ao redor do mundo com as mídias da Fórmula 1”, comentou o diretor comercial da competição, Sean Bratches, em nota. “É um bom momento para ser um fã de Fórmula 1”, complementou.

Quando a Liberty Media comprou a Fórmula 1, no fim de 2016, a principal promessa era tornar a disputa mais moderna e atrativa. Após a primeira temporada com a agência americana, a organização começa a colher os resultados, com aumento na audiência da televisão e, principalmente, com o expressivo avanço nas redes sociais.

A Fórmula 1 lançou um consolidado de números que envolvem a disputa na televisão. E, ao considerar as corridas e todos os programas diretamente relacionados à competição, a organização identificou um aumento de 6,2% na audiência em relação a 2016. No total, 1,4 bilhão de pessoas tiveram contato com os eventos ao longo do ano.

Esse aumento esteve presente nos quatro principais mercados da Fórmula 1: Alemanha, Reino Unido, Itália e Brasil. Os italianos foram os que apresentaram maior crescimento, com 19,1%. Já o Brasil viveu um caso curioso. Na audiência geral, o crescimento foi de 13,4%. Por outro lado, houve mais uma diminuição no número de pessoas que assistiram às corridas ao vivo, com queda de 1,8%.

O país permanece como a maior audiência televisiva da Fórmula 1 no mundo. No total, 76 milhões de pessoas acompanharam as corridas no Brasil; foram 352 milhões em todo o mundo.

Nas redes sociais, um dos principais focos de desenvolvimento da Liberty Media com a Fórmula 1, o crescimento foi ainda maior. Segundo a organização do evento, nenhuma entidade esportiva teve uma aumentou proporcional tão significativa em 2017. Foram 54,9% a mais em relação ao ano anterior, na soma de Facebook, Twitter, Youtube e Instagram.

Um bom exemplo do crescimento das redes sociais, tanto em audiência quanto em cuidado da Liberty Media com o conteúdo, está no aumento de visualizações de vídeos no Facebook. Em 2017, foram 390 milhões de minutos assistidos pelos internautas, 1600% a mais em relação ao ano anterior.

No Instagram, o crescimento nos seguidores ficou próximo dos 100%. Nos vídeos do Twitter, o número foi de 165%. E até o site da Fórmula 1 teve aumento de audiência, com 124 milhões de visualizações, 7,5% a mais que 2016.

“O centro dos nossos esforços na última temporada foi melhorar a experiência do torcedor nas nossas plataformas e encorajar o engajamento desses torcedores ao redor do mundo com as mídias da Fórmula 1”, comentou o diretor comercial da competição, Sean Bratches, em nota. “É um bom momento para ser um fã de Fórmula 1”, complementou.