Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Após vexame, prefeitura culpa empresa e demite diretor do Pacaembu

Apagão no jogo entre Santos e Corinthians foi o quinto no estádio em 2018

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 06/03/2018, às 07h37 - Atualizado às 10h37

Imagem Após vexame, prefeitura culpa empresa e demite diretor do Pacaembu

Foto: Reprodução

O vexatório apagão que deixou, por 50 minutos, o jogo entre Santos e Corinthians paralisado, causou a primeira demissão no estádio do Pacaembu. O diretor José Eduardo Gomes foi afastado, após a quinta queda de energia em oito jogos no estádio este ano.

Além disso, em nota oficial, a prefeitura paulistana afirmou que foi feito um relatório primário que indicou um problema na cabine primária do estádio que poderia ter sido causado por oscilação na rede de energia, que é de responsabilidade da Eletropaulo.

A prefeitura disse ainda que fará uma solicitação à empresa para a troca das linhas de fornecimento de energia na região do Pacaembu, já que, segundo a nota, "o estádio é um consumidor final de linha e recebe carga instável".

A Eletropaulo rechaçou ter havido falha no fornecimento de energia no domingo (4), quando houve o apagão. A queda de luz já era um problema detectado pela Máquina do Esporte em janeiro, quando uma reportagem mostrou que a prefeitura paulistana havia abandonado a gestão do Pacaembu, à espera da privatização.

Nesta segunda-feira (5), o prefeito da cidade, João Dória Júnior, voltou a recorrer a posts no Facebook para tentar responder a problemas que acontecem na cidade. Ele confirmou o interesse em se desfazer do aparato, erguido pouco antes da Copa do Mundo de 1950, e que, nos últimos anos, não havia enfrentado problemas de apagão, mesmo tendo recebido mais jogos.

"O estádio tem 78 anos e precisa ser atualizado para evitar apagões que infelizmente acontecem nesta região da cidade. Não é um problema da prefeitura. Nós temos que ter um entendimento que resolva tecnicamente o problema do Pacaembu. Mas a solução definitiva é a sua concessão, é investimento privado. No próximo dia 24 de abril, vamos publicar o edital para a concessão do Pacaembu", afirmou o prefeito paulistano, que quer privatizar outras áreas de lazer, como o parque do Ibirapuera, o autódromo de Interlagos e o sambódromo do Anhembi.

Dória Júnior, declaradamente torcedor do Santos, estava no estádio durante o apagão. Ele deixou o Pacaembu após o vexame, que foi transmitido ao vivo pela TV Globo. Curiosamente, esse foi o primeiro jogo do Santos em que houve o problema. Os outros foram partidas envolvendo Corinthians e São Paulo, que também usaram o local para mandar alguns jogos este ano.

No nota oficial em que comunicou a demissão do diretor do Pacaembu, a prefeitura também afirmou que, a partir de agora, haverá um engenheiro e uma equipe técnica da Eletropaulo de prontidão no estádio para eventuais problemas. O Santos pretende mandar dez jogos do Campeonato Brasileiro no estádio, além de outras partidas válidas pela Copa Libertadores.