Bahia usará contratações para atrair novos sócios

Pesquisa constatou que Torcedor Oficial dependia de "nomes de peso"

A chegada de Ricardinho e Carlos Alberto ao meio-campo do Bahia, por mais que não gere bons resultados dentro de campo, terá pelo menos uma utilidade na equipe: alimentar o departamento de marketing. Nas próximas semanas, ações relacionadas à dupla deverão ser divulgadas pelo clube tricolor, e o foco serão os sócios-torcedores.

"A imagem deles será usada para criarmos novas campanhas para o Torcedor Oficial, nosso programa de associação", conta Sacha Mamede, diretor de marketing do Bahia, à Máquina do Esporte. A popularidade dos atletas, ambos com passagens pela seleção brasileira, também poderá ser explorada em produtos licenciados.

Carlos Alberto, por exemplo, teve a própria imagem utilizada pelo Vasco na confecção de artigos. Em razão da boa imagem que o jogador conquistou com a torcida vascaína, por ter levado a equipe de volta à primeira divisão do Campeonato Brasileiro, o clube carioca aproveitou o momento e criou peruca alusiva às tranças do meio-campista.

"A princípio, estamos pensando em ações maiores, que envolvam nossos torcedores oficiais, mas a peruca também é uma ideia que pode ser trabalhada por nós", avalia Mamede. A aposta no crescimento do Torcedor Oficial, na verdade, é calcada em estudo realizado por empresa contratada pelo Bahia recentemente.

De acordo com os dados obtidos, grande parte da torcida, embora porcentagens não tenham sido divulgadas, afirmou que só iria se associar ao Bahia depois da contratação de "nomes de peso", segundo o diretor de marketing. Agora, com Carlos Alberto e Ricardinho, o clube sente que tem bons argumentos para convencer o torcedor.

Em relação aos patrocínios, o Bahia aposta na mesma popularidade da nova dupla de meio-campo para atrair empresas. No ensejo da volta à elite do campeonato nacional, o marketing baiano pretende vender duas propriedades novas: mangas e barra da camisa. Ainda não há, entretanto, nenhum negócio fechado para elas.