Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Basquete da Espanha rompe com agência da Conmebol

Contrato é o quarto perdido pela MP&Silva em pouco mais de um mês

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 27/09/2018, às 07h50 - Atualizado às 10h50

Imagem Basquete da Espanha rompe com agência da Conmebol

A crise da MP&Silva fez a agência contratada pela Conmebol para comercializar a Copa América sofrer mais um baque. Dessa vez, foi a Liga de Basquete da Espanha (ACB) que rompeu o contrato de oito anos que garantia à agência a venda dos direitos de mídia do torneio.

Diferentemente de outras ligas que estavam sem receber da agência, a ACB tinha os vencimentos em dia, mas decidiu, estrategicamente, comercializar por conta própria os direitos de mídia da competição.

Foto: Reprodução / Twitter (@ACBCOM)

"Uma nova etapa na comercialização dos direitos internacionais começou. Estamos assumindo diretamente tanto as negociações quanto a administração dos operadores dos diferentes territórios", afirmou a Liga ACB, em um comunicado oficial.

Com a nova estratégia, a temporada 2018/2019 da Liga ACB, que tem início nesta quinta-feira (27), será vista em 140 países. Além de aumentar a receita, a liga acredita que está melhorando a cobertura. Os novos contratos têm, em sua maioria, duração de vários anos, muitos até a temporada 2020/2021.

Na Europa, uma estratégia de personalização foi realizada na venda de direitos de televisão, apenas com importantes acordos geográficos, como na área que compreende Alemanha, Áustria, Suíça, Liechtenstein e Luxemburgo, onde a liga será vista pelo DAZN (plataforma de streaming da Perform), ou nos países da região dos Balcãs, onde será assistida via Arena Sport.

Já na América Latina e no Caribe, haverá o Fox Sports Latin America, enquanto nos Estados Unidos o acordo é com a Eleven Sports Network. Por último, a Liga ACB será vista no Oriente Médio e norte da África na Sharjah TV, e no resto da África via Fox.

A MP&Silva tem sofrido com a derrocada dos investidores chineses que se tornaram donos da empresa. Em pouco mais de um mês, o Arsenal, a Federação Internacional de Handebol (IHF, na sigla em inglês) e a Scottish Professional Football League (SPFL), liga profissional de futebol da Escócia, romperam seus contratos com a agência.

Além disso, no final de julho, a Lega Serie A, que faz a gestão da primeira divisão do futebol italiano, entrou na justiça contra a MP&Silva por direitos não pagos no valor total de 38 milhões de euros (cerca de R$ 180 milhões).

Vale lembrar, no entanto, que o contrato da Conmebol para a comercialização da Copa América, porém, continua em vigência.