Camisa esgota, e SP já planeja linha para Rogério

Com diretoria e Luis Fabiano, Rogério e homenageado no Morumbi

Com diretoria e Luis Fabiano, Rogério e homenageado no Morumbi

Na última quarta-feira, o Morumbi teve 60 mil pessoas para assistir à milésima partida de Rogério Ceni pelo São Paulo. Além da renda que superou R$ 1,5 milhão, o clube lucra com as vendas que cercaram o evento. O primeiro lote de pré-venda da camisa usada pelo goleiro, por exemplo, já está esgotado.

A São Paulo Mania, loja do São Paulo administrada pela Netshoes, anunciou nesta quinta-feira que o estoque do modelo foi esvaziado em uma hora. Apesar de a loja não divulgar o número de modelos vendidos, a empresa afirma que foram vendidos no período o que era esperado em uma semana.

A camisa comercializada foi feita pela fornecedora do clube, a Reebok, e mantém o estilo retrô. Ela tem manga curta e uma gola com cadarço. Além disso, ela é comercializada com um autógrafo do Rogério Ceni e um selo alusivo aos mil jogos do goleiro pelo time tricolor.   

Como a marca alcançada por Rogério comove os são-paulinos, a venda de licenciado do jogador não deve parar. Relacionado ao número atingido, a ideia é focar somente na camisa usada durante a partida. Durante o restante do ano, no entanto, o clube irá lançar uma linha de camisas licenciadas com o nome do goleiro.

Com a partida de número mil de Rogério Ceni, o clube cogita lançar outros licenciados que não deverão ser camisas. Seriam canecas, bandeiras e outros pequenos produtos relacionados ao fato.

Outro fator comemorado no Morumbi foi o número recorde de vendas na loja oficial do clube dentro do estádio, durante a partida. Novamente, o São Paulo não divulga números, mas já consegue afirmar que as mais de 60 mil pessoas presentes na arena deram lucros expressivos para além da bilheteria.