CBV usa Mundial para enaltecer Superliga

Ary Graça Filho discursa diante os tricampeões mundiais

Ary Graça Filho discursa diante os tricampeões mundiais

A Confederação Brasileira de Voleibol lançou na tarde desta terça-feira a temporada 2010/2011 da Superliga Masculina, o campeonato nacional de vôlei entre clubes. Para engrandecer a disputa dos próximos meses, a CBV usou ao máximo o fato da seleção brasileira ter conquistado o Campeonato Mundial, o que a transformou na única seleção do país a ser três vezes campeã do mundo consecutivamente.

Em um evento realizado em um buffet para festas na zona sul paulistana, a CBV usou o narrador da Sportv Luiz Carlos Junior para ser o mestre de cerimônia da próxima Superliga masculina. Logo, Junior já enaltece o momento vivido pelo vôlei brasileiro: “Os olhos do mundo estarão voltados para as quadras brasileiras”.

Em seguida ao discurso inicial, cada jogador campeão mundial que estará presente nas quadras brasileiras foi apresentado. Nesse momento de exposição, eles não vestiam a camisa de seus clubes, o que colocou patrocinadores como BMG e Sky, grandes investidores na modalidade, em segundo plano. A camisa usada tinha menção ao campeonato vencido, com a marca do Banco do Brasil, patrocinador da seleção.

Posteriormente, todos os jogadores presentes que já tinham sido campeões do Mundial, da Liga Mundial ou dos Jogos Olímpicos foram chamados ao palco para receber um troféu que os homenageava. Somente nesse momento os jogadores retiraram a camisa do Banco do Brasil e voltaram a expor as marcas que patrocinam os seus clubes.

O presidente da CBV, Ary Graça Filho, chegou a se confundir com o número de jogadores que deveriam subir ao palco para tirar a foto dos campeões. Após alguns nomes esquecidos, terminou pedindo o microfone: “Tem mais algum campeão mundial aí?”.

Em seu discurso, Ary Graça Filho destoou de Luiz Carlos Junior, que chamou a Superliga de “melhor campeonato do mundo”. Para o presidente, há anos existe um trabalho em conjunto com confederação, patrocinadores, jogadores e mídia para abastecer o vôlei brasileiro. “Estamos conseguindo fazer uma Superliga de bom nível”, afirmou modestamente.

Para finalizar suas palavras, Ary Filho fez questão de elogiar o governo Lula; o ministro do Esporte, Orlando Silva, estava ao seu lado. Parodiando o presidente da República, o dirigente finalizou o seu discurso: “Nunca antes na história desse país deu tanta grana para o esporte brasileiro”.

Por sua vez, Orlando Silva, que esteve presente durante toda a cerimônia, foi sucinto em suas palavras. O ministro afirmou que tem como sonho ver as outras 28 modalidades olímpicas no mesmo estágio em que se encontra o vôlei brasileiro. Depois, deu destaque para a implantação do esporte em escolas e na sua aplicação para a melhora na qualidade de vida das pessoas.