Com fiasco, Brasil perde também no Ibope

Fred após a última cobrança de pênalti

Fred após a última cobrança de pênalti

No último domingo, Brasil e Paraguai se enfrentaram pelas quartas de final da Copa América. Em campo, a seleção brasileira não conseguiu superar a defesa paraguaia. Na disputa de pênaltis, conseguiu errar todas as cobranças. Além da eliminação, outro fator negativo ficou por conta da audiência alcançada pela equipe na rede Globo.

Na tarde do último domingo, a média no Ibope da Globo foi de 28 pontos. O número foi inferior ao apresentado na última vez em que a seleção brasileira jogou em um fim de semana no mesmo horário. Sem disputas de pênaltis, Brasil e Venezuela ficaram com 29 pontos de média no empate sem gols da primeira fase da Copa América.

Já na última quarta-feira à noite, Brasil e Equador se enfrentaram em uma partida com seis gols. Na audiência, houve um recorde na rede Globo. Com 39 pontos de média, o duelo sul-americano teve o melhor Ibope de um evento esportivo neste ano na emissora carioca. Nesse caso, deve ser considerado que o horário nobre da semana costuma apresentar Ibope mais alto do que a faixa da tarde de um domingo.

Mas até mesmo entre clubes houve índices de audiência superiores ao do Brasil contra o Paraguai. Corinthians e Santos, com 30 pontos de média, e Corinthians e Palmeiras, com 34 pontos, foram os casos deste ano com Ibope superior. Ambas as partidas foram válidas pela fase final do Campeonato Brasileiro.

A última vez que a seleção brasileira foi eliminada de um torneio oficial foi na Copa do Mundo. Em uma tarde de sábado, Brasil e Holanda conseguiram 45 pontos de média no Ibope, além dos 11 pontos obtidos pela rede Bandeirantes.

Copa do Mundo de futebol feminino

Paralelamente à partida entre Brasil e Paraguai, a Bandeirantes transmitiu a decisão da Copa do Mundo de futebol feminino. A concorrência, no entanto, prejudicou o Ibope da emissora paulista. O título japonês sobre a seleção norte-americana rendeu apenas dois pontos de média.

Cada ponto no Ibope é equivalente a 58.300 domicílios sintonizados. Os dados da medição consideram apenas a audiência de São Paulo, região de referência para o mercado publicitário.