Com patrocinados, futebol da Asics cresce 90%

Modelo de chuteira utilizado por Loco Abreu

Modelo de chuteira utilizado por Loco Abreu

Há menos de dois anos, a Asics resolveu investir na divulgação de seus artigos de futebol no Brasil apostando em patrocínios a alguns jogadores profissionais. A marca já tinha seus produtos no mercado havia mais tempo, mas só conseguiu maior visibilidade graças às apostas mais recentes. Na segunda temporada dessa nova diretriz de marketing, a empresa já colhe um aumento de 90% nas vendas no país.

O foco da marca esteve em um grupo restrito de atletas. É o caso, por exemplo, de Loco Abreu, uruguaio que se transformou em ídolo no Botafogo. Ele foi o primeiro atleta do futebol brasileiro que a Asics investiu e ativou, e mostrou o que a empresa precisava para continuar seguindo a linha adotada. Vieram, então, jogadores como Jefferson, também do Botafogo, e Fábio Rochemback, do Grêmio.  

Assim como mira os Jogos Olímpicos de 2016 no Brasil, a Asics foca a Copa do Mundo de 2014, também no país, como par"metro para continuar com os investimentos no futebol brasileiro. Com jogadores, a estratégia tem dado certo, mas a empresa ainda vê dificuldades para dar um passo adiante, que seria fornecer uniformes para as equipes de ponta.

Para entrar nesse mercado, a Asics terá que lidar com um cenário inflacionado e concorrido. Por isso, a empresa ainda permanece tímida nas suas ações. Quem garante é o gerente esportivo da marca, João Alberto Zappoli. “O futebol vive uma bolha. Nós queremos entrar, mas sem loucuras”, afirmou o executivo.

Desde que iniciou um posicionamento mais incisivo no futebol, a Asics chegou a procurar algumas equipes da Série A do Campeonato Brasileiro, caso de Grêmio e Botafogo, que mantêm jogadores patrocinados pela marca. O valor envolvido, no entanto, não atraiu a empresa neste primeiro momento.