Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Copa derruba comércio local

Copa derruba comércio local

Guilherme Costa em São Paulo - SP Publicado em 11/06/2010, às 17h00

Um dos principais motivos para a Copa do Mundo ser um bom negócio para o país que a recebe é o incremento que o torneio proporciona no turismo. Durante um mês, o país é invadido por pessoas de diferentes partes do mundo, ávidas para consumir cultura e produtos locais. E nesta sexta-feira, logo no primeiro jogo do torneio de 2010, a África do Sul virou as costas a tudo isso. Nas poucas lojas que funcionaram enquanto a seleção local enfrentava o México, vender e atender o público eram objetivos bem menores do que encontrar uma posição capaz de enxergar a TV. Um rápido passeio pelas ruas de Johanesburgo foi suficiente para identificar várias lojas fechadas. Em algumas, pouco antes de o jogo começar, havia placas avisando que o serviço seria retomado em 45 minutos, quando acabasse o primeiro tempo. O mesmo procedimento foi tomado por esses empresários no início da segunda etapa. As poucas lojas com movimento em Sandton, bairro nobre de Johanesburgo, não vendiam nenhum produto oficial. O que elas ofereciam aos clientes era uma TV ligada, sintonizada no jogo. Nesses casos, formavam-se grupos na frente das vitrines. O que mais impressionou, contudo, foi a reação das pessoas que estavam trabalhando no momento do jogo. No Sandton City, um shopping local, um segurança estava encarregado de impedir que pessoas se aglomerassem na frente de uma loja. Ele passou quase toda a partida falando com pessoas que insistiam em aproveitar o corredor de frente para uma tela grande. Os momentos de desatenção do oficial, quando grupos passavam alguns segundos no local, coincidiram justamente com os lances mais agudos da África do Sul. Em outra loja, chamada Wolman?s, um casal estrangeiro tentava comprar uma mala. Os dois olhavam modelos, reviravam os produtos expostos e conversavam. Os dois vendedores que estavam de plantão, pouco interessados, estavam do outro lado da loja, região em que havia uma pequena TV. As ruas de Johanesburgo ficaram desertas no momento do jogo desta sexta-feira. As poucas pessoas que circulavam pela cidade apenas procuravam uma posição melhor para ver o jogo. Além das que estavam no estádio Soccer City ou em casa, muitas se encaminharam ao Fifa Fan Fest. Ainda não há dados oficiais sobre a quantidade de torcedores que foi ao local para ver o primeiro jogo da Copa.