Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Crefisa ostenta em renovação com Palmeiras

Leila Pereira, dona da empresa, faz questão de abrir valores de maior patrocínio do país

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 24/01/2019, às 10h41 - Atualizado às 12h41

Imagem Crefisa ostenta em renovação com Palmeiras

A Crefisa continua no embate com o BMG nos bastidores do dérbi entre Corinthians e Palmeiras. Um dia após a oficialização do acordo entre o banco e o time do Parque São Jorge, os palmeirenses receberam a notícia de renovação da principal parceira do time. Com direito a alfinetadas nos rivais.

Em coletiva de imprensa, a presidente da Crefisa, Leila Pereira, exaltou os valores que serão investidos no Palmeiras. Lembrou que a quantia é fixa, em possível referência às variações que apresentam Corinthians e BMG. E, assim como fez a Puma na campanha em que lançou a parceria com o clube, falou de “inveja” dos rivais. Dessa vez em relação ao patrocínio.

“É um valor real, está no contrato, está no balanço. É o maior patrocínio da história do futebol. Não tenho dúvida de que é invejado no Brasil. Mas pertence ao maior campeão do Brasil”, falou a executiva na quarta-feira (23).

Para ostentar o que seria “o maior patrocínio da América Latina”, frase também usada pelo presidente do Palmeiras, Mauricio Galiotte, Leila Pereira resolveu abrir os valores que envolvem a parceria com o clube. Nos anos anteriores, a dona da Crefisa e da FAM preferiu manter em sigilo os detalhes financeiros.

O novo acordo com o Palmeiras é valido até 2021. Por ano, a Crefisa pagará R$ 81 milhões, além de luvas de R$ 15 milhões pela assinatura do contrato. O time ainda poderá receber R$ 34 milhões ao ano por metas esportivas alcançadas. Segundo a executiva da empresa, o clube ajudou na exposição das marcas em todo o Brasil, e o aporte fez as “receitas subirem ainda mais”.

Sem especificar, Leila ainda afirmou que pagará ao time R$ 6,8 milhões por “propriedades de marketing”. Nos últimos anos, a parceria teve alguns acordos à parte, caso da FAM que passou a patrocinar o canal do time no Youtube.

A ostentação palmeirense, no entanto, não teve ataques diretos. Perguntado sobre provocações feitas pelo diretor de marketing do Corinthians, Luís Paulo Rosenberg, Pereira desconversou: “Aqui estamos conversando sobre o Palmeiras. O maior campeão do Brasil. Não gostaria de falar sobre outros clubes”.

As provocações entre BMG e Crefisa pelos patrocínios de Corinthians e Palmeiras começaram no anúncio do banco ao time alvinegro, pelo Twitter. Na ocasião, a empresa pediu uma meta de seguidores na rede social para dar novidades; o número escolhido era exatamente o que tinha a conta da Crefisa. A concorrente respondeu com a frase “quem tem mais tem Crefisa”.