Cruzeiro diz ter assédio de anunciantes por site

Clube mantém pré-capa do site oficial para fins institucionais

Clube mantém pré-capa do site oficial para fins institucionais

Ao visitar a página oficial do Cruzeiro na internet, como em grande parte dos clubes da elite brasileira, o internauta é obrigado a visualizar capa que antecede o site em si. Por essa razão, essa área é a mais vista pelo público, e esse detalhe está fazendo com que o clube mineiro receba diversas propostas de potenciais anunciantes.

Dentro do site, há marcas de parceiros como Reebok, BMG, Netshoes e Brahma, da Ambev, e a direção da equipe vê certa dificuldade na venda de anúncios nesse local, mais tradicional. "Em muitos casos, as empresas querem a pré-capa, mas é uma área institucional, reservada para o clube", conta Marcone Barbosa, diretor de marketing.

Até hoje, o Cruzeiro usou a página que antecede o site oficial em duas ocasiões, para divulgar produtos da loja virtual que estavam com preços promocionais. "Desde então, estamos sendo muito assediados por outras empresas para usar essa propriedade, mas não é algo que estamos dispostos", acrescenta o dirigente da equipe.

Para o diretor, é mais saudável para o time manter anúncios em propriedades internas e tentar explorar outras ferramentas, como o Facebook. Nessa mídia social, especificamente, há meta de reunir 100 mil torcedores, que "curtem" o clube e passam a receber atualizações constantes, para depois vender espaços publicitários.

Outra novidade na área de comunicação que deverá ser lançada é versão da revista oficial do Cruzeiro para iPad. "A próxima edição já deve levar degustação do que pretendemos fazer, e, se tudo der certo, será mais um canal para potencializar a exposição de marca de patrocinadores e vender anúncios", conclui Barbosa.