Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Direitos de TV da Liga dos Campeões viram crise política em Portugual

Canal estatal RTP ganha concorrência, mas órgão fiscalizador pede destituição da diretoria por negociação

Erich Beting - São Paulo (SP) Publicado em 10/12/2014, às 09h53 - Atualizado às 11h53

Imagem Direitos de TV da Liga dos Campeões viram crise política em Portugual

A venda dos direitos de transmissão da Liga dos Campeões da Europa em Portugal provocou uma crise política no país. No final de novembro, a emissora estatal RTP foi anunciada como vencedora da disputa pela transmissão da Liga em TV aberta. Ela bateu a TV1, de capital privado, e garantiu os direitos de transmissão para o próximo triênio (2015-2016 a 2017-2018).

O problema é que, segundo a mídia especializada portuguesa, a RTP pagou a cifra recorde de 18 milhões de euros pelo triênio, o que gerou revolta pelo uso de dinheiro público na aquisição de direitos televisivos. A emissora estatal nega que tenha pago esse montante pelos direitos, mas a derrotada TV1 alimentou a polêmica dizendo que “nunca participaria de uma concorrência” se soubesse que os valores propostos eram esses.

De acordo com a TV1, esse valor é 40% superior ao que foi oferecido pela empresa pelos direitos.

A briga esquentou após o CGI, Conselho Geral Independente, responsável por reduzir a ingerência do governo sobre a RTP, questionou a negociação com a Uefa e disse que não havia sido informado sobre a intenção da aquisição dos direitos.

Com base nisso, o CGI solicitou ao governo português a destituição da diretoria da emissora. Há três anos, o governo havia proibido a RTP de concorrer pelos direitos de transmissão da Liga.