Endividado, Vasco perde R$ 487 mil em penhoras

São Januário, estádio vascaíno, registrou prejuízo em dois jogos

São Januário, estádio vascaíno, registrou prejuízo em dois jogos

O impasse em relação ao pagamento de salários atrasados no Vasco ainda não foi solucionado. Os R$ 14 milhões referentes ao patrocínio da Eletrobrás, emperrados devido à falta de certidões negativas de débito, porém, são apenas um dos fatores que têm impedido o clube carioca de quitar dívidas com funcionários.

Em sete partidas disputadas no estádio de São Januário, apesar do bom momento vivido pela equipe de futebol, o Vasco perdeu cerca de R$ 487 mil com penhoras. Esse valor é retirado automaticamente dos cofres vascaínos para pagar dívidas contraídas há muitos anos, durante a gestão de Eurico Miranda.

O clássico contra o Fluminense, no último domingo (22), gerou lucro de R$ 533 mil, mas 50% foram penhorados pela Justiça para quitar débito com o atacante Euller, a quem o clube deve cerca de R$ 3 milhões, segundo advogados do jogador. O "filho do vento", como era chamado pela torcida, jogou com a camisa vascaína no início da década.

Dentre os jogos do Campeonato Brasileiro de 2010, ainda há prejuízo em dois deles. Contra o Atlético Paranaense, as despesas superaram as receitas em R$ 6,4 mil. Diante do Internacional, foram perdidos pouco mais de R$ 15,2 mil. Curiosamente, o lucro vem crescendo gradativamente, à medida que a equipe conquista melhores resultados.

Confira, abaixo, os números exatos:

Fluminense, em 22 de agosto: lucro de 533.658,35 (266.829,37 penhorados)

Vitória, em 8 de agosto: lucro de 182.218,66 (182.218,66 penhorados)

Atlético-GO, em 24 de julho: lucro de 11.248,81 (22.048,76 penhorados)

Atlético-PR, em 17 de julho: prejuízo de 6.464,02

Guarani, em 3 de junho: lucro 8.375,49 (1.675,10 penhorados)

Internacional, em 27 de maio: prejuízo de 15.220,78

Palmeiras, em 17 de maio: lucro de 75.547,73 (15.109,55 penhorados)