Estaduais geram R$ 47,4 milhões para elite brasileira

Corinthians, de Liédson, lidera ranking de arrecadação nos Estaduais

Corinthians, de Liédson, lidera ranking de arrecadação nos Estaduais

Em todo o Brasil, no último fim de semana, foram finalizados os Campeonatos Estaduais, primeiras competições relevantes a serem disputadas na temporada 2011. Santos, Flamengo, Internacional, Cruzeiro, Coritiba e Atlético-GO, entre as equipes da primeira divisão brasileira, venceram as disputas em seus respectivos Estados.

Caso as bilheterias fossem o critério para determinar os campeões, contudo, o cenário seria bastante diferente. A receita bruta obtida pelas 20 principais equipes do país, em 209 confrontos realizados na condição de mandantes, foi de aproximadamente R$ 47,4 milhões. A divisão desse valor entre os times aponta algumas tendências.

Em primeiro lugar, os Estados que recebem as maiores fatias dos valor arrecadado com ingressos ainda são São Paulo e Rio de Janeiro. A lista dos cinco que mais geraram renda, por exemplo, reúne Corinthians (R$ 6,6 milhões), São Paulo (R$ 4,7 milhões), Flamengo (R$ 4,3 milhões), Palmeiras (R$ 3,9 milhões) e Vasco (R$ 3,4 milhões).

O Estado de Minas Gerais, por sua vez, segue sendo fortemente afetado pelo fechamento do Mineirão para obras, necessárias para que o estádio receba a Copa do Mundo em 2014. O Cruzeiro, campeão mineiro, arrecadou R$ 826 mil, enquanto o Atlético-MG, vice-campeão, levantou R$ 532 mil, pior arrecadação bruta do país.

Em relação aos gaúchos, nota-se vantagem do campeão Internacional sobre o principal rival, Grêmio. A equipe colorada gerou R$ 3,2 milhões, diante do R$ 1,2 milhão dos tricolores. No número gremista, contudo, não foi considerada a arrecadação da final, cujo valor não havia sido publicado até o fechamento desta reportagem.

Outro caso interessante está no Campeonato Cearense. O torneio foi o primeiro do Brasil a ter início, já em 13 de janeiro, com vitória do Ceará. A equipe alvinegra, que posteriormente venceria a competição, foi a que mais jogou enquanto mandante. A vantagem numérica, contudo, não fez com que o Ceará liderasse nas bilheterias, com R$ 1,7 milhão arrecadado.

Confira, abaixo, o ranking de arrecadação da elite brasileira:

CLUBE: receita líquida / jogos como mandante


CORINTHIANS: R$ 6,6 milhões / 12 jogos

SÃO PAULO: R$ 4,7 milhões / 12 jogos

FLAMENGO: R$ 4,3 milhões / 10 jogos

PALMEIRAS: R$ 3,9 milhões / 11 jogos

VASCO: R$ 3,4 milhões / 10 jogos

SANTOS: R$ 3,4 milhões / 12 jogos

INTERNACIONAL: R$ 3,2 milhões / 14 jogos

FLUMINENSE: R$ 2,5 milhões / 9 jogos

ATLÉTICO-PR: R$ 2,1 milhões / 11 jogos

CORITIBA: R$ 1,9 milhão / 11 jogos

CEARÁ: R$ 1,7 milhão / 14 jogos

FIGUEIRENSE: R$ 1,4 milhão / 12 jogos

BAHIA: R$ 1,3 milhão / 9 jogos

GRÊMIO: R$ 1,2 milhão / 8 jogos

BOTAFOGO: R$ 1,2 milhão / 9 jogos

ATLÉTICO-GO: R$ 1 milhão / 11 jogos

CRUZEIRO: R$ 826 mil / 7 jogos

AVAÍ: R$ 547 mil / 9 jogos

AMÉRICA-MG: R$ 534 mil / 9 jogos

ATLÉTICO-MG: R$ 532 mil / 9 jogos