Limeira se aproxima de verba via Lei de Incentivo

Clube terá recursos livres para investir na equipe principal - Crédito Célio Messias

Clube terá recursos livres para investir na equipe principal - Crédito Célio Messias

Após um ano e meio procurando patrocinadores, o Winner/Limeira está próximo de conseguir captar verba via Lei de Incentivo do Ministério do Esporte. Para dois projetos voltados para a formação de novos atletas, o time de basquete está finalizando negociações que o farão ultrapassar a cota mínima para receber o dinheiro.

A primeira iniciativa, intitulada "Bola na Cesta", precisa de pelo menos R$ 342 mil captados por meio de patrocínios para que os recursos comecem a ser recebidos, equivalente a 35% do total. Ela foi viabilizada pelo Estado de São Paulo, que oferece 3% em isenção fiscal do Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

A segunda, "Cesta Brilhante", necessita ver captados R$ 434 mil para começar a receber, equivalente a 20% do total aprovado. Essa verba, por sua vez, faz com que o governo federal repasse 1% às empresas sob isenção fiscal. Até a última segunda-feira (10), o primeiro projeto havia captado R$ 488 mil, e o segundo, R$ 238 mil.

Desde que o Limeira passou a agir com uma agência especializada em captar patrocínios nesses moldes, começou a conseguir parceiros com mais facilidade, conta Denis Fernando, assessor de comunicação. "Nós estamos usando mediadoras, que levam empresas às equipes, e por isso aumentou bastante o valor arrecadado", diz.

O dinheiro a ser recebido pelo clube não poderá ser usado em despesas com o time principal, como pagamento de salários de atletas, mas será investido em infraestrutura e categorias de base. Desse modo, os recursos atualmente direcionados para esses fins poderão ser repassados à equipe que disputa o Novo Basquete Brasil (NBB).