Lucas deixa Nike e acerta com Adidas

Lucas em sua última partida com chuteiras da Nike

Lucas em sua última partida com chuteiras da Nike

O são-paulino Lucas é o novo rosto da alemã Adidas no Brasil. O jogador de apenas 18 anos já tem sido colocado como uma das grandes revelações do futebol, ao lado de Neymar e Paulo Henrique Ganso, e deve ser um dos principais nomes patrocinados pela empresa no país. Dessa maneira, a marca também se aproxima de ter mais um jogador presente nos Jogos Olímpicos de 2012 e na próxima Copa do Mundo.

Lucas vai fazer sua estreia com as chuteiras Adidas nesta quinta-feira, em partida contra o Avaí, pelo segundo e decisivo jogo das quartas de final da Copa Kia do Brasil. A assessoria de imprensa da empresa, no entanto, não confirma nem a estreia e nem o acordo com o jogador brasileiro.

Neste ano, a Adidas adotou uma nova estratégia, que quer reposicionar a marca no mercado e visa popularizar suas chuteiras entre atletas. Carregada pela campanha “Adidas is All In”, a empresa alemã deixa de focar apenas em ícones do futebol mundial, como Beckham, Messi e Kaká, e passa a apostar em revelações e em jogadores médios.

Faz parte desse plano de popularização uma aposta em jovens com potencial de atuar na seleção principal. Nesse caso, o foco da Adidas é a participação na Copa de 2014.

Lucas, agenciado por Wagner Ribeiro, permaneceu jogando com chuteiras da Nike gratuitamente durante o período de negociações, neste primeiro semestre de 2011. Em sua última partida pelo São Paulo, contra o Santa Cruz pela Copa Kia do Brasil, ele ainda calçava seu modelo roxo da marca americana.

Sua decisão foi contrária às negociações recentes envolvendo nomes do futebol brasileiro. Robinho, do Milan, pintou sua chuteira Nike de preto enquanto acionava a empresa na justiça, alegando que havia problemas na redação de seu contrato. Resolvido a sua renovação com a marca, voltou a usar normalmente os modelos cedidos.

Outro caso recente não terminou bem para a Nike, em uma situação semelhante à vivida por Lucas. Durante a renovação com o lateral direito Daniel Alves, do Barcelona e da seleção brasileira, o jogador passou a usar Adidas em suas partidas para pressionar a sua então patrocinadora. Terminou sem renovar e fechou com a própria Adidas.