Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Marcas "aposentam" Marta na Copa do Mundo Feminina

Seis vezes melhor do mundo, camisa 10 não protagoniza publicidade para o torneio

Erich Beting - São Paulo (SP) Publicado em 07/06/2019, às 07h29 - Atualizado às 10h29

Imagem Marcas "aposentam" Marta na Copa do Mundo Feminina

Maior jogadora da história do futebol feminino brasileiro, única a ser seis vezes eleita a melhor do mundo e camisa 10 do Brasil que inicia neste domingo (9) a busca pelo inédito título da Copa do Mundo. Marta tinha todos os predicados para ser o rosto da publicidade crescente no Mundial da França. Mas as marcas deixaram de lado a camisa 10 e trouxeram novas protagonistas.

LEIA MAIS: Análise: Assistir à Copa Feminina virou ato de resistência

Diferentemente do que aconteceu no futebol masculino, em que Neymar concentrou a publicidade nas duas últimas Copas do Mundo, os patrocinadores, quando decidiram partir para comunicar seu apoio ao futebol feminino, não se aproximaram de Marta, que é a figura mais popular e conhecida da seleção.

Foto: Divulgação / Guaraná Antarctica

Andressa Alves, primeira mulher brasileira a jogar pelo Barcelona, e Cristiane Rozeira, segunda maior goleadora do time nacional, tornaram-se os principais rostos de campanha do Itaú. Andressa ainda é a protagonista da campanha da Nike, enquanto Cristiane também fornece seu rosto para a publicidade do Guaraná Antarctica.

Essa decisão, mais do que desprestigiar Marta, mostra como as marcas mudaram o entendimento sobre a comunicação do futebol feminino. As empresas usam as novas protagonistas para levantar a bandeira do empoderamento das mulheres.

"Neste ano, o Guaraná tem a proposta de valorizar tudo o que o Brasil tem de bom, tudo o que é 'Coisa Nossa'. E uma das coisas boas do país é o futebol feminino. Queremos mostrar para as pessoas todo o potencial dessas meninas, todo o sucesso que elas já alcançaram e tudo o que ainda podem alcançar", afirmou Daniel Silber, gerente de marketing do Guaraná Antarctica, ao lançar a campanha em que oferecia as jogadoras Fabi, Andressinha e Cristiane para outras empresas utilizarem em campanhas em suas redes sociais. O projeto trouxe para dentro do patrocínio a agência Almap BBDO e os anunciantes O Boticário, DMCard, GOL e Lay's.

A Nike também adotou a mesma linha do empoderamento. Desde março, criou várias iniciativas que reforçam o conceito de torcer junto com as jogadoras.

"Se para a Nike o esporte é um agente de transformação, para nós, brasileiros, essa transformação só é possível com uma mudança de mentalidade no futebol. Essa campanha é o começo de uma jornada com a qual vamos aumentar a participação feminina no esporte. Queremos que, um dia, no Brasil, o futebol e todas as outras modalidades se tornem um hábito diário para as mulheres", disse Martina Valle, diretora da Nike para mulheres, ao lançar a primeira campanha em março.