Marketing do Atlético-PR para antes de eleição

Se Petraglia vencer eleição, futuro do marketing se torna incógnita

Se Petraglia vencer eleição, futuro do marketing se torna incógnita

As eleições presidenciais no Atlético-PR, bem como em muitos outros times de futebol da elite nacional, paralisaram o departamento de marketing. Enquanto não houver novidade a respeito de quem será a cúpula atleticana nos próximos anos, os profissionais continuam trabalhando normalmente, mas sem poder tomar nenhuma decisão.

A pausa acontece, principalmente, porque em caso de vitória da chapa de oposição todo o planejamento feito pelo marketing pode mudar. Mario Celso Petraglia, ex-presidente da equipe, está no pleito, e os atuais funcionários do clube não sabem dizer o que acontecerá caso ele volte ao cargo. Caso a situação vença, o panorama é outro.

Marcos Malucelli, atual presidente, não está participando da eleição. A situação, então, é representada por Diogo Fadel. Se ele sair vitorioso na votação, agendada para a próxima quinta-feira (15), já existe uma série de diretrizes para o departamento de marketing estabelecidas, mas elas não serão divulgadas até o resultado das urnas.

A paralisação acontece em momento pouco oportuno. O Atlético-PR foi rebaixado à segunda divisão do Campeonato Brasileiro neste ano, e negociações de patrocínio estão em curso. A Philco, atual cotista máster, por exemplo, ainda não sabe se irá permanecer na camisa rubro-negra, entre outras tratativas que seguem indefinidas.

Um adversário que viveu situação similar nesta temporada é o Cruzeiro. Os mineiros passaram por período eleitoral em outubro, no meio da disputa do Brasileiro, e durante algumas semanas o departamento de marketing teve de parar para auxiliar na organização das eleições. Os resultados da área, consequentemente, caíram nesse tempo.