Mundial de basquete gera impacto de quase R$ 1,3 bilhão à economia da Espanha

Jogadores dos EUA comemoram título do Mundial

A Copa do Mundo de basquete, disputada na Espanha, gerou um impacto econômico de € 408 milhões (R$ 1,286 bilhão) ao país organizador e teve lotação de 80% nas arenas. As informações foram divulgadas pela Real Federação Espanhola de Basquete a partir de um estudo encomendado à consultoria Deloitte.

Segundo a pesquisa, 55 mil turistas estrangeiros viajaram para apoiar suas seleções. O torneio foi transmitido para 179 países, com audiência global de 300 milhões de pessoas. Segundo o informe, o torneio gerou um valor global de marca de € 219 milhões, dos quais € 82,7 milhões veio da presença dos meios de comunicação da própria Espanha no torneio, disputado de 30 de agosto a 14 de setembro.

“Foi o grande evento esportivo da década na Espanha”, afirmou José Luis Saez, presidente da federação e do Comitê Organizador.

Mais de 540 mil torcedores assistiram aos jogos nos ginásios, com uma média de 3 a 4 jogos por pessoa. Curiosamente, a partida com maior público ocorreu entre Nova Zelândia e Finlândia, vista por 15.483 pessoas.

Segundo o relatório da Deloitte, durante a fase de classificação, Baracaldo foi a sede mais concorrida, com 88% do ginásio ocupado, seguida de Granada (83%), Sevilha (79%) e Las Palmas (61%). Na segunda fase, Madri obteve 83% de ocupação, enquanto Barcelona conseguiu 75%. Nas disputas por medalha, a lotação chegou a 91%.

“O fato de um a cada quatro jogadores que disputaram o Mundial terem jogado na NBA contou para a qualidade esportiva do evento”, afirmou Saez.

 “Fizemos um torneio exemplar, deixando um legado incrível para o basquete espanhol. Queremos seguir sendo referência para o futuro”, acrescentou o dirigente, referindo-se à candidatura espanhola a sede do Mundial feminino de 2018.