Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Naomi Osaka fecha com Shiseido e vira "máquina de patrocínios"

Após título no US Open, japonesa é nova "queridinha" das marcas no tênis

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 21/11/2018, às 15h41

Imagem Naomi Osaka fecha com Shiseido e vira "máquina de patrocínios"

Aos 21 anos, Naomi Osaka se transformou em uma verdadeira "máquina de patrocínios". Após se tornar a primeira tenista japonesa da história a conquistar um Grand Slam ao derrotar Serena Williams na final do US Open deste ano, a jogadora não para de acumular aportes. Desta vez, Osaka se tornou embaixadora global da empresa de cosméticos Shiseido, maior empresa do ramo no Japão e quarta maior do mundo.

O patrocínio será ativado a partir dos primeiros torneios de 2019, que servem como preparação para o Australian Open, primeiro Grand Slam da temporada. A tenista será garota-propaganda da marca de maquiagem BareMinerals e da linha de protetores solares Anessa.

Foto: Reprodução / Twitter (@Naomi_Osaka_)

"Como Osaka, que sempre dá o melhor dentro de quadra, nós também estamos assumindo várias novas iniciativas, desafiando o mundo e alcançando novos patamares", afirmou a marca, em um comunicado oficial para a imprensa.

Vale lembrar que, antes de vencer o US Open em 8 de setembro, Naomi Osaka tinha patrocínios de apenas três marcas japonesas (Nissin, que produz macarrões instantâneos, a empresa de raquetes Yonex e a de mídia Wowow), além da alemã Adidas como fornecedora de roupas

De lá para cá, em apenas dois meses e meio, a tenista já garantiu três aportes substanciais, o que dá uma média de um patrocínio fechado a cada 25 dias.

Antes da Shiseido, Osaka tornou-se embaixadora global da montadora japonesa Nissan e, depois, refez seu acordo com a Adidas para, segundo o jornal americano New York Post, receber US$ 10 milhões por ano a partir de janeiro, o que a transformará na mulher mais bem paga da marca alemã.

Para se ter uma ideia do que o título do US Open está fazendo com a carreira de Osaka, basta dizer que o atual acordo dela com a Adidas, assinado no início de 2015 e que vai expirar em 31 de dezembro deste ano, vale cerca de US$ 100 mil por ano.