Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Nike abre vantagem em gols, mas perde entre melhores

Guilherme Costa em Em Johanesburgo (África do Sul) Publicado em 10/07/2010, às 14h00

A Nike patrocina os jogadores mais eficientes da Copa do Mundo de 2010. A Adidas, os melhores. A duas partidas do término da competição, a companhia americana de material esportivo tem vantagem confortável sobre a rival no total de gols anotados por seus atletas. Em contrapartida, os alemães patrocinam um número maior de concorrentes ao prêmio de melhor do torneio.

Nas semifinais da Copa do Mundo, jogadores calçados com chuteiras da Nike foram responsáveis por quatro gols (Sneijder, Van Bronckhorst, Maxi Pereira e Puyol). Atletas patrocinados pela Adidas marcaram dois (Forlán e Robben). Com isso, a marca americana é responsável por 63 dos 137 gols na competição, enquanto sua maior concorrente estava nos pés que fizeram 57.

A Nike pode ter vantagem confortável no total de gols marcados, mas a Adidas é soberana na qualidade. A marca alemã patrocina seis dos dez indicados ao prêmio de melhor jogador da Copa do Mundo de 2010 (Forlán, Gyan, Messi, Robben, Schweinsteiger e Villa), e sua rival apoia apenas quatro (Iniesta, Özil, Sneijder e Xavi).

Os últimos episódios do duelo entre as duas principais marcas de material esportivo do planeta acontecerão neste fim de semana. A luta pelo título de melhor jogador da Copa do Mundo, por exemplo, será definida apenas no próximo domingo. Jornalistas credenciados para o torneio poderão escolher um entre a lista de dez nomes elaborada pelo comitê técnico da Fifa. A eleição termina no apito final da decisão.

Outra briga que ainda está aberta é pela artilharia. Atualmente, o posto de goleador do torneio é dividido por Villa (Adidas) e Sneijder (Nike). Eles têm um gol a mais do que Müller (Adidas), Klose (Nike) e Forlán (Adidas), atletas que entrarão em campo neste sábado.

Por fim, Adidas e Nike duelarão pelo título mundial. As duas empresas patrocinam, respectivamente, Espanha e Holanda, as duas seleções que farão a decisão no domingo. O único título dos americanos no torneio aconteceu em 2002, quando a seleção brasileira ficou com a taça.