Record muda parceiro e modelo para relançar título

É Gol começará a ser vendido em lotéricas no dia 28 de março

É Gol começará a ser vendido em lotéricas no dia 28 de março

Com alguns ajustes, a Record voltou cinco anos no tempo. Assim como havia feito em 2006, a emissora paulista lançou nesta semana um título de capitalização baseado na imagem de clubes de futebol. A diferença é que, escorado no fracasso da primeira empreitada, o projeto da emissora mudará o parceiro e o formato.

O primeiro título de capitalização com esse mote, lançado em março de 2006, era chamado de Lig Gol. O projeto foi criado pela diretoria do Flamengo em parceria com José Francisco de Souza, idealizador da Telesena, contava com uma série de clubes da elite do futebol nacional e tinha a Record como parceira de mídia.

O título foi construído em parceria com a Sul-América, que escolheu um esquema de venda por telefone. Havia um número com prefixo 0900 para compra, e o projeto distribuía prêmios de até R$ 1,5 milhão por mês.

Esse modelo foi a principal razão de a iniciativa ter naufragado. Na época, o Brasil vivia uma discussão intensa sobre o uso de telefones 0900, prefixo que designava ligações cobradas. O uso desse tipo de serviço foi proibido, e isso derrubou a proposta do Lig Gol.

Desde então, a Record vinha trabalhando para retomar o projeto. Isso só foi possível porque a emissora conseguiu parceria com a Caixa Capitalização, que integra a Caixa Seguros, grupo que tem a Caixa Econômica Federal como acionista e que possui acesso às lotéricas.

Além do parceiro, o título mudou o formato. Executivos que haviam participado da primeira empreitada consideravam fundamental a existência de um título físico, que o usuário pudesse manusear e que não dependesse exclusivamente do telefone. Na visão deles, isso aumentaria a confiança das pessoas no projeto.

“O É Gol [nome do novo título de capitalização] tem sido chamado de a Telesena do futebol. O que ajuda bastante é exatamente isso: ele tem um modelo que é bastante conhecido, que facilita a divulgação”, ponderou Júlio Casares, diretor de projetos especiais da Record.

Lançado na última segunda-feira, em São Paulo, o É Gol começará a ser vendido no dia 28. O projeto já conta com 28 equipes nacionais – o Flamengo deve ser a 29ª –, e os custos da operação serão da Caixa Capitalização. A Record entrará como parceira de mídia.