Santos fecha negócio, e Neymar assina com Tenys Pé

Clube leva 30% do valor pago pela empresa, a sexta a apoiar o atleta

Clube leva 30% do valor pago pela empresa, a sexta a apoiar o atleta

Neymar, atacante do Santos e da seleção brasileira, tem novo patrocinador pessoal. A Tenys Pé, empresa que ganhou visibilidade no futebol após aportes pontuais no São Paulo e no Palmeiras, terá o atleta como garoto-propaganda por um ano, duração do contrato assinado. O negócio foi intermediado, novamente, pelo clube.

Com o acordo, a empresa pretende usar a imagem de Neymar em campanhas publicitárias e eventos. Um dos potenciais motes a serem explorados será o fato de os pés do atacante serem cuidados por produtos da Tenys Pé. "Ele é o principal jogador do país, conhecido mundialmente", disse Daniel Tiraboschi, diretor de vendas, em nota.

Atualmente, o jogador é patrocinado por Nike, Panasonic, Red Bull, IG e Nextel. Em setembro, porém, quando o contrato com a operadora de telefonia celular expira, o atacante assinará um acordo de longa duração com a Oi. O Santos, em todos esses negócios, recebe 30% do valor, jamais divulgado.

O fato de o clube ter fechado mais um negócio - uma vez que apenas o da Nike não foi intermediado pelo Santos, por já existir antes do início do plano de marketing proposto pela equipe - fortalece a relação entre time e jogador. Com a visibilidade gerada pelas atuações do atacante na seleção brasileira, o clube quer estar próximo.

O principal fator que poderia "ameaçar" essa proximidade, ou pelo menos fazer com que Neymar dividisse os méritos do bom desempenho no campo dos negócios entre mais partes, é a parceria de Wagner Ribeiro, empresário do jogador, com a 9ine, agência de marketing esportivo de Ronaldo, Marcus Buaiz e do grupo WPP.

Quando a empresa anunciou o acordo com Ribeiro, em meados de abril deste ano, ficou acertado que 9ine buscaria parceiros comerciais para todos os atletas agenciados pelo empresário, incluindo Neymar. Atualmente, esse serviço é prestado justamente pelo Santos e é o principal pilar na manutenção do jogador no Brasil.

A captação de patrocínios pessoais foi a maneira que a equipe alvinegra encontrou de elevar a remuneração do atleta, de modo a convencê-lo a não ir para o Chelsea, um dos gigantes europeus que demonstrou interesse na aquisição de Neymar na temporada passada. A multa rescisória do contrato é de 45 milhões de euros.