Sebrae divulga estudo sobre impacto da Copa sobre MPEs

O Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas empresas) reuniu nesta segunda-feira, em São Paulo, autoridades e empresários para exibir uma pesquisa encomendada à Fundação Getúlio Vargas. Trata-se de um “mapa de oportunidades” criado com base na realização da Copa do Mundo a capital paulista

A instituição divulgou que 300 mil micro e pequenas empresas serão impactadas com o Mundial realizado na cidade de São Paulo. O levantamento cita 456 oportunidades criadas, que foram divididas em sete segmentos: agronegócios, madeira e imóveis, têxtil e vestuário, turismo, serviços e tecnologia da informação.

Dessas 300 mil empresas que podem ter crescimento com a Copa do Mundo, 51% estão no setor de comércio, 30% estão na área de serviços e o restante é industrial. Entre os segmentos, a pesquisa destaca a tecnologia de informação, com 80 oportunidades de negócios, seguidas por agropecuária e turismo.

Para o diretor superintendente do Sebrae-SP, Bruno Caetano, as empresas começaram a despertar para a Copa do Mundo apenas recentemente. “Quando as obras do estádio (do Corinthians) começaram, os empresários acordaram para o evento. Antes, ainda havia uma descrença”, afirmou, lembrando que a primeira recomendação da entidade é que o “Mundial já começou”.

O levantamento do Sebrae também apontou os gargalos, as dificuldades que as pequenas empresas deverão enfrentar para crescer no Mundial. Os problemas foram divididos em cinco categorias: documentação geral, documentação específica, gestão, sustentabilidade e outros.

A promessa da entidade é ajudar a desburocratizar os que as pequenas empresas terão que passar. Além disso, o Sebrae irá investir R$ 80 milhões até 2013 em iniciativas para os empreendedores, como programas de consultoria, inovação e acesso a mercados. O programa se chamará Sebrae 2014.

À Máquina do Esporte, Bruno Caetano resumiu como a Sebrae quer colaborar com as pequenas empresas: “Vamos ajudar na organização do planejamento, passando informações para que cada empresa possa crescer, desburocratizando os processos. Por isso dividimos em diferentes setores, para abordar as especificidades de cada um deles. A Copa do Mundo é uma oportunidade”.