Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Supercopa reúne brasileiros e europeus

Supercopa reúne brasileiros e europeus

Rodrigo Capelo em São Paulo - SP Publicado em 20/05/2010, às 15h00

Quatro dos principais clubes brasileiros irão disputar, entre 24 de julho e 1º de agosto deste ano, um torneio sub-19 em Barueri. A competição terá presença de duas equipes da América Latina e duas da Europa. A Supercopa Eurofarma de Futebol Júnior, patrocinada pela companhia farmacêutica que lhe dá nome, foi apresentada oficialmente nesta quinta-feira (20), num evento realizado em São Paulo, e teve as chaves sorteadas. No grupo 1, Palmeiras, Flamengo, Peñarol (Uruguai) e Porto (Portugal) irão se enfrentar em turno único. O grupo 2, nos mesmos moldes, é composto por Corinthians, Santos, Sevilla (Espanha) e Boca Juniors (Argentina). Os dois times mais bem colocados em cada grupo na primeira fase avançam às semifinais, enquanto os outros definem as demais colocações - a pedido dos europeus, que desejam jogar o maior número de partidas possíveis durante a estadia no Brasil. A Brunoro Sports Business, comandada por José Carlos Brunoro, é a empresa responsável por unir todas as partes envolvidas e organizar a competição. Além dos clubes e da Eurofarma, o campeonato conta com o auxílio da Federação Paulista de Futebol (FPF) e da prefeitura de Barueri, a quem compete a cessão da Arena Barueri, recém ampliada para 30 mil lugares. "Há cinco anos, viajando pela Europa, passei por Alemanha, Holanda, Itália, vi torneios para categorias de base e pensei: "por que não no Brasil?", disse Brunoro na apresentação da Supercopa. "Os times de fora aceitaram nosso convite com o "desconfiômetro" ligado, mas tenho certeza de que daqui a algum tempo esse torneio será objeto de desejo e outros europeus farão fila para jogar aqui". Os principais objetivos da iniciativa são aquecer o calendário esportivo brasileiros, logo após a Copa do Mundo, e auxiliar na formação de novos jogadores e, consequentemente, novos negócios. Robinho, Diego, Dentinho, Neymar e Ganso são exemplos usados por Brunoro para justificar os investimentos nas categorias de base.