Traffic aposta em Copa para vender Libertadores

Adriano, pelo Flamengo, foi atração em 2010. - Crédito Redação

Adriano, pelo Flamengo, foi atração em 2010. - Crédito Redação

A Copa Santander Libertadores terá transmissão em 2011 para os países da África setentrional e para o Reino Unido. A negociação foi julgada como rotineira pela Traffic, que comercializa os direitos de TV da competição, já que cerca de 150 países têm a possibilidade de assistir aos jogos do principal torneio de futebol da América do Sul. No entanto, o mercado é promissor para a agência.

Segundo o diretor de negócios internacionais da Traffic, Jochen Lösch, dois fatores têm tornado a Libertadores mais atraente para o mercado internacional. Primeiramente, a proximidade de uma Copa do Mundo na região: “Existe um interesse cada vez maior na América do Sul”, reitera Lösch.

O outro fator está relacionado ainda mais com o mercado brasileiro. Os clubes têm se reforçado e contratado jogadores com expressão no resto do mundo. Para Lösch, a lógica é simples: “Com mais jogadores de nome, mais pessoas querem ver os jogos”. Em 2010, a Libertadores contou com nomes como Ronaldo, Roberto Carlos e Adriano, atletas de sucesso na Europa e na seleção brasileira.

As negociações não ocorrem em uma data estabelecida, mas em um processo contínuo durante o ano. Por isso, o fechamento com Reino Unido e África setentrional foi encarado com naturalidade dentro da Traffic. O momento, no entanto, é de otimismo. Apesar do número de países que recebem a transmissão já ser satisfatório, os valores permanecem crescentes.

Como de costume, os novos contratos firmados foram de dois anos. No Reino Unido, a emissora irlandesa Setanta Sports ficará com os direitos da competição. Já na África setentrional, três empresas fecharam negócio com a Traffic: a Sukuku, My TV e OTM.