Twitter santista vai seguir torcedores até o centenário

Twitter oficial do Santos

Twitter oficial do Santos

Até o centenário do Santos, o torcedor santista poderá ser uma das poucas pessoas seguidas pelo Twitter oficial do clube, que atualmente segue apenas 13 contas, entre Umbro, Fifa e CBF. A cada semana, a página do time pedirá uma frase criativa, que deverá ser colocado junto com uma hashtag sugerida.

As melhores frases serão eleitas até a data do centenário do clube, o que fará com que cinquenta torcedores ganhem o direito de ser seguido pelo Twitter oficial do Santos. No entanto, há uma condição para que isso aconteça: esse torcedor tem que seguir o time paulista no YouTube e no Facebook, além do próprio Twitter.

Para o coordenador de comunicação do Santos, Arnaldo Hase, essa foi uma maneira de conseguir novos seguidores sem usar as técnicas mais conhecidas. “A gente costuma sortear produtos do time, mas, dessa vez, pensamos em criar algo que fuja do comum”, afirmou.

Além dos novos seguidores, o Santos faz da promoção um modo de espalhar seus torcedores pelas diversas redes sociais, no caso YouTube e Facebook. Apesar do alto número de visualizações na rede social de vídeos, o Twitter permanece como o principal veículo de comunicação online, com 130 mil seguidores.

O zelo do departamento de comunicação do clube é tamanho com a sua conta de Twitter que o Santos a dividiu em outras páginas. Hoje, além da conta oficial do time, existe outra específica para o time feminino e outra chamada de “ao vivo”, para contar as partidas da equipe em tempo real. A intenção é não lotar a página principal com mensagens excessivas, que podem afastar o torcedor internauta.

Com as redes sociais ligadas, o clube pode contar ainda mais com a participação de seu torcedor e criar canais de comunicação cada vez mais diretos com ele. “A integração das mídias sociais é essencial. Quando ligamos ao site oficial, podemos ver que nossos acessos saltaram de 21 mil visualizações por dia para 63 mil desde o início do trabalho com as redes”, finalizou Arnaldo Hase.