Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Opinião / Felipe Soalheiro

Opinião: O presente do esporte: Cisco + Super Bowl

E se fosse possível reimaginar por completo a experiência do público em um estádio?

Felipe Soalheiro, especial para a Máquina do Esporte Publicado em 01/04/2022, às 10h18 - Atualizado às 10h20

SoFi Stadium, na região de Los Angeles, recebeu o Super Bowl LVI no último dia 13 de fevereiro - Divulgação / Cisco
SoFi Stadium, na região de Los Angeles, recebeu o Super Bowl LVI no último dia 13 de fevereiro - Divulgação / Cisco

A coluna de março chega com um pequeno atraso, mas por um excelente motivo: fui direto na fonte para aprender mais sobre o case escolhido por vocês como tema central da coluna deste mês. Conversei nesta semana com o brasileiro JP Melo, líder da área de Sports, Media & Entertainment da Cisco para as Américas, sobre as soluções de tecnologia implementadas por eles para o Super Bowl LVI, disputado no incrível SoFi Stadium, na região de Los Angeles, no começo do ano.

Parceira estratégica de centenas dos principais times, arenas e entidades esportivas do mundo, incluindo a NFL, a Cisco tinha antes de tudo uma missão ainda maior: prover as soluções tecnológicas necessárias para criar uma revolucionária plataforma de experiência do usuário para o mais novo e moderno destino de esportes e entretenimento dos EUA, o Hollywood Park.

Este empreendimento de uso misto, de cerca de 1,2 milhão de m², conta com lojas, escritórios comerciais, um hotel, unidades residenciais e espaços de parque ao ar livre. E, claro, a estrela principal ali não poderia deixar de ser o SoFi Stadium que, além de sediar o Super Bowl LVI em 2022, também será palco das Cerimônias de Abertura e Encerramento dos Jogos Olímpicos de Los Angeles 2028.

Para a Cisco, ao mesmo tempo em que cuidava de garantir uma entrega perfeita para o todo o Hollywood Park, a empresa fez do Super Bowl a primeira grande cereja deste bolo, utilizando em máxima escala soluções até então inéditas. E o caminho buscado para alcançar isso foi sempre o de reimaginar por completo a experiência dos fãs, mas não apenas deles, como vocês verão na entrevista a seguir.

Felipe Soalheiro: Por que a atuação da Cisco neste Super Bowl pode ser vista como inovadora?

JP Melo: A Cisco, como líder no seu segmento, sempre busca inovar com suas soluções, alinhando-as às necessidades e resultados de negócios. Unida a um investimento de mais de US$ 6,5 bilhões em pesquisa e desenvolvimento por ano, a segmentação das inovações para o esporte vem de mais de 15 anos de experiência, em mais de 400 arenas em 40 diferentes países. Para o Super Bowl LVI, a inovação não foi apenas para o evento em si, mas para todo o distrito multiuso que é o Hollywood Park, do qual o SoFi Stadium também faz parte. A Cisco possibilitou que o complexo pudesse receber eventos da magnitude do Super Bowl, assim como outros que lá acontecerão, como Los Angeles 2028, conectando todo o distrito em uma única rede hiperconvergente, facilitando e possibilitando o acesso a múltiplos serviços, passando pelas áreas de broadcast, produção, concessões, vendas de merchandise, experiência dos fãs, operação, estacionamento, iluminação interna e externa, dentre outras, com um custo inferior ao tradicional e uma performance muito maior.

FS: Qual a principal inovação introduzida pela Cisco nesta edição, na sua visão?

JPM: Rede hiperconvergente, possibilitando conectar todo o distrito de forma mais eficiente em agilidade e custo. Somente o Super Bowl LVI gerou um tráfego de 53 petabytes! É como se 58 pessoas tirassem 4 mil fotos de altíssima resolução por dia por toda a sua vida, condensados em um único dia, ou seja, aproximadamente 6,6 bilhões de fotos!

FS: Além de cybersecurity e data network, em quais outras áreas a Cisco contribuiu para a entrega deste Super Bowl?

JPM: São várias as frentes de atuação, das quais destaco três das soluções mais inovadoras:

  • Dynamic Signage - inteligente e integrado com todos os sistemas do complexo, conectando mais de 2.800 telas dentro do SoFi Stadium e nos perímetros (Hollywood Park);
  • IPFM para Broadcasting – transportando vídeo sem compressão em 4K para os feeds internos e externos do jogo;
  • HD WiFi – com antenas virtuais para pontos de acesso de WiFi de alta densidade, melhorando a performance, o custo e a operação das conexões para mais de 70 mil fãs no estádio.

FS: Para a Cisco, é relevante fazer parte do Super Bowl além da tecnologia em si, considerando as oportunidades de ativação de marca, relacionamento com clientes e fan experience?

JPM: 1.000%! A Cisco é considerada uma marca líder nas ativações “new endemic”, que são uma forma diferente do que as endêmicas e as não endêmicas têm feito. Somos uma marca B2B, com propósitos muito bem definidos em alinhar nossas soluções aos sucessos das prioridades de negócios do cliente. Nossas ativações, além de alta tecnologia, têm de ter propósito, eficiência e resultados. O storytelling é essencial. Poder mostrar como a Cisco ajudou o SoFi Stadium a captar novas receitas, melhorando sua eficiência operacional, tendo o engajamento e experiência do fã como ponto central, é o resultado que sempre miramos ter com nossos clientes.

Como habitual, o case da próxima coluna será escolhido por vocês, via LinkedIn. Sigam-me por lá!

Felipe Soalheiro é fundador da SportBiz Consulting, em que atua conectando marcas ao seu público por meio do esporte, tendo inovação e criatividade como foco, e escreve mensalmente na Máquina do Esporte