Após polêmica com sauditas, Phil Mickelson perde patrocínio de 14 anos da KPMG

O americano Phil Mickelson, um dos maiores golfistas de todos os tempos, pediu desculpas nesta terça-feira (22) após alguns comentários que fez sobre a Arábia Saudita há alguns meses. Em um comunicado enviado à imprensa, o jogador disse que sentiu a pressão e o estresse afetando-o de uma maneira muito profunda como não sentia há 10 anos e que precisa de um tempo afastado.

A polêmica teve início em uma entrevista concedida pelo golfista em novembro do ano passado. À época, Mickelson disse que “sabemos que eles mataram [o colunista do Washington Post Jamal] Khashoggi e têm um histórico horrível em direitos humanos. Eles executam pessoas lá por serem gays. Sabendo de tudo isso, por que eu consideraria isso? Porque esta é uma oportunidade única na vida de reformular a forma como o PGA Tour opera”.

Na entrevista dada ao autor e escritor de golfe Alan Shipnuck, o jogador ainda se referiu aos sauditas, que querem uma liga separatista de golfe que seria financiada por eles, como “mães assustadoras” e que “valeria a pena ir para a cama com os sauditas, apesar de seu histórico de abusos dos direitos humanos, se isso significar uma chance de mudar o PGA Tour“, principal circuito de golfe do mundo.

No comunicado, o jogador afirmou que estava “profundamente arrependido” e que determinados comentários foram feitos por ele “em off”, ou seja, não deveriam fazer parte da entrevista que veio a público. Alan Shipnuck, no entanto, já havia dito que em nenhum momento o golfista pediu para que uma parte da entrevista fosse “em off” ou que ficasse apenas entre os dois.  

Fora do green, os comentários já começaram a ter consequências. Patrocinadora de Mickelson desde 2008, a multinacional KPMG encerrou a parceria. Segundo a empresa, o término foi uma decisão mútua. “Desejamos a ele o melhor”, disse a KPMG, em um e-mail enviado à Fox.

Em seu comunicado, o jogador ainda disse que deu a seus parceiros a opção de pausar ou encerrar seus relacionamentos ”como entendo que possa ser necessário, dadas as circunstâncias atuais”. Ao menos por enquanto, nenhuma outra empresa tomou alguma atitude.

No final de sua declaração, Mickelson afirmou que precisa de um tempo afastado, mas não deixou claro se vai parar ou não de jogar golfe.

”Sei que não tenho sido o meu melhor e preciso desesperadamente de algum tempo para priorizar aqueles que mais amo e trabalhar para ser o homem que quero ser. Estou muito desapontado e farei todos os esforços para refletir e aprender com isso”, concluiu o golfista.